Contratação com carteira assinada cresce, mas em ritmo menor, segundo o IBGE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de dezembro de 2012 as 10:04, por: cdb
Desemprego
Funcionárias trabalham na linha de montagem dos Computadores Positivo, em Curitiba

O número de empregos com carteira assinada observou um aumento de 2,5% em novembro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o  estudo, o ritmo de crescimento em 2012 permaneceu em torno de 3%, em um patamar inferior à média de 6% a 8% dos dois anos anteriores.

– É um ponto para termos atenção. Está claro que, apesar do crescimento do contingente de trabalhadores com carteira assinada, há uma desaceleração nesse crescimento – afirmou o coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo.

Na pesquisa do IBGE consta, ainda, que em novembro deste ano o crescimento de empregos sem carteira de trabalho assinada chegou a 2,9%, maior, portanto, do que o de postos de trabalho com carteira assinada:

Segundo o IBGE, novembro registrou ainda uma taxa de ocupação (razão entre as pessoas empregadas e a população acima de 10 anos de idade) recorde de 55,3%. Cerca de 23,5 milhões de pessoas estavam trabalhando nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE no mês passado.

Mais uma constatação positiva do levantamento de novembro foi o rendimento médio real habitual dos trabalhadores, que chegou ao valor recorde de R$ 1.809,60. O número é 0,8% maior do que o observado em outubro deste ano e 5,3% superior ao de novembro do ano passado.