Continuaremos no Iraque apesar dos ataques, diz Tony Blair

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de novembro de 2003 as 16:36, por: cdb

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, afirmou nesta quarta-feira na Câmara dos Comuns que as tropas de ocupação anglo-norte-americanas no Iraque não abandonarão esse país apesar dos contínuos ataques das últimas semanas contra soldados da coalizão.

– Devemos continuar nesse país e não permitir que os grupos terroristas consigam o que querem – disse Blair.

– Quero deixar claro uma coisa a respeito de algumas críticas e comentários que li sobre a difícil situação no Iraque e nossa obrigação de sair desse país, mas o pior que poderíamos fazer agora seria abandonar o Iraque – declarou Blair de forma enérgica diante de parlamentares britânicos.

– O que devemos fazer é seguir até o final nesta situação e analisar os progressos. É importante que continuemos no Iraque porque a realidade é que nós somos os únicos responsáveis para que milhares de iraquianos tenham uma vida melhor e estes grupos terroristas e seguidores de Saddam Hussein estão tentando impedir isso. Essa é uma realidade que não devemos esquecer – completou o premier.

Em relação às críticas da oposição por uma falta de coordenação de ações militares no Iraque, entre Londres e Washington, Blair admitiu: “o diálogo que mantemos com a administração dos Estados Unidos sobre esse assunto tem sido constante”.

– Estou contente por manter a Câmara dos Comuns informada sobre o que discutimos com Bush durante sua visita oficial a Londres, tanto sobre o Iraque como em relação a outros aspectos – declarou o chefe de governo britânico.

– Deixemos bem claro o que está acontecendo no Iraque; é certo que existem dificuldades tremendas, mas a verdade é que há grupos terroristas e ex-milícias de Saddam Hussein preparados a matar qualquer número de inocentes, não só tropas de coalizão – completou.

– Eles atacaram a sede da ONU em Bagdá e forçaram a saída da Cruz Vermelha Internacional, além de matarem dezenas de civis iraquianos. Tudo o que esses grupos estão fazendo é criar mais caos no Iraque – finalizou o premier.