Consumo de energia elétrica no Brasil aumenta 10%

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de maio de 2003 as 15:39, por: cdb

O consumo de energia elétrica no Brasil aumentou 10% em fevereiro ante o mesmo mês de 2002, quando ainda havia o racionamento, informou boletim divulgado nesta segunda-feira pelo Ministério de Minas e Energia. No entanto, o consumo este ano é 5,5% inferior ao registrado em fevereiro de 2001, ano mais utilizado como base para a análise, por ser anterior ao racionamento.

Segundo o Departamento de Estudos Energéticos e Mercado da Eletrobrás, responsável pelo boletim, o consumo em fevereiro foi de 24.960 GWh. O crescimento em relação ao acumulado em 12 meses foi de 7,1%. A lenta recuperação do consumo na classe residencial e o aumento da auto-geração de energia no setor industrial foram os fatores apontados para a queda no consumo com relação a 2001.

Autoprodução afeta crescimento do consumo

A migração para a autoprodução de energia elétrica no setor industrial retira pelo menos dois pontos porcentuais do crescimento de consumo de energia elétrica no setor industrial, segundo o boletim da Eletrobrás. O crescimento no setor industrial em fevereiro deste ano com relação ao mesmo período do ano passado foi de 5,6%, mas se não fosse a autoprodução, atingiria a 7%, aponta o boletim do Ministério das Minas e Energia divulgado nesta segunda-feira.

A autoprodução é apontada pelo Ministério como um dos principais responsáveis pelo lento crescimento do consumo pós-racionamento. Segundo o boletim, o consumo industrial em fevereiro foi de 10.471GWh, o que representa um crescimento acumulado em 12 meses de 7%.

Em comparação com fevereiro de 2001, entretanto, há uma queda no consumo de 3,5%. No índice de crescimento de consumo de energia no setor industrial é ainda importante destacar que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou um crescimento de 4,1% em fevereiro com relação ao mesmo mês no ano passado, sustentado principalmente na categoria de bens de consumo duráveis, exportações e agroindústria.