Consórcio Inframerica substitui Infraero na administração do aeroporto de Brasília

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 1 de dezembro de 2012 as 15:07, por: cdb

Stênio Ribeiro
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A administração do Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitscheck  foi transferida à zero hora deste sábado (1º) para o Consórcio Inframerica Aeroportos, que assume a gestão, manutenção e o funcionamento dos serviços básicos até agora operados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

O controle de tráfego aéreo permanece sob a responsabilidade da Infraero. A empresa estatal, vinculada à Aeronáutica, também vai supervisionar a fase de transição, estimada em três meses.

O consórcio – formado pela Infravix Empreendimentos, do Grupo Engevix, e pela empresa Corporación América, da Argentina – assumiu as novas funções com algumas novidades, como relata José Antunes Sobrinho, presidente do Conselho do Consórcio, a começar pelo estacionamento de carros, que aumentou de 1.034 para 1.312 o número de vagas para carros.

Mas, “isso é só parte externa, de acesso”, disse ele. Na parte interna, o balcão de informações passa a funcionar 24 horas, com atendimento bilíngue, e dois novos endereços na internet – www.inframerica.aero e www.bsb.aero – estão disponíveis aos usuários com todas as informações sobre voos, funcionamento e andamento das obras de ampliação e manutenção do aeroporto.

Além disso, o usuário conta também com acesso ilimitado e gratuito às redes wi-fi de alta velocidade, podendo fazer download pelos sistemas Apple e Androide. Funcionários identificados com a marca Inframerica estão espalhados pelos terminais com tablets integrados ao sistema de gestão do aeroporto e podem ser acionados para atendimento adicional aos passageiros.

Isso, porém, é só para começar uma operação que prevê investimentos de R$ 2,85 bilhões durante a concessão de 25 anos do aeroporto, que atualmente movimenta mais de 16 milhões de passageiros por ano. Dos recursos previstos, R$ 750 milhões serão gastos na reforma completa dos dois terminais em operação e construção de um terceiro terminal, com ampliação das atuais 13 para 28 pontes de acesso aos aviões (fingers), até junho de 2014. Antes, portanto, da Copa do Mundo.

 

Edição Beto Coura