Congresso recebe LDO mas não vota

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 15 de abril de 2003 as 10:11, por: cdb

A primeira proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi entregue na tarde desta terça-feira ao presidente do Congresso, senador José Sarney (PMDB-AP), pelo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Guido Mantega, mas não vai tão cedo à votação. Mesmo antes de ser entregue, a proposta do governo já enfrenta resistências no PT. Deputados reclamam da meta de superávit primário prevista para os próximos anos. Petistas já defendem a convocação dos ministros Mantega e Antonio Palocci, da Fazenda, para explicar a LDO e os rumos da política econômica do governo Lula na bancada.

Sem acordo político e em uma semana de trabalho mais curta por causa do feriado de Páscoa, a Câmara vota em passos lentos as medidas provisórias que estão trancando a pauta de votações da Casa. Apesar da convocação do presidente João Paulo Cunha (PT-SP), os deputados votaram ontem apenas uma MP. Mais seis estão na pauta, impedindo a votação de outras matérias como a emenda constitucional que regulamenta o sistema financeiro (artigo 192). Segundo previsão do próprio governo, a pauta da Câmara só deverá ser desobstruída na próxima semana.

No Senado, com sua pauta de votações ainda trancada por medidas provisórias, a concentração desta terça-feira será sobre a audiência pública do ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, que participa de uma reunião conjunta de duas comissões. O ministro fala sobre a política agrícola do governo aos integrantes da Comissão de Assuntos Econômicos e da Comissão de Assuntos Sociais.