Congresso Nacional cria CPMI do Cachoeira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 10:52, por: cdb

A 1ª vice-presidente do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), anunciou nesta quinta-feira (19) a criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investigará as relações do contraventor Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privados.

Em sessão extraordinária do Congresso Nacional (Câmara e Senado), Rose de Freitas disse ainda que os partidos terão até as 19h30 da próxima terça-feira (24) para indicar membros para a comissão. Ao todo são 15 deputados e 15 senadores, com igual número de suplentes. A parlamentar substituiu, na presidência da sessão, o presidente do Congresso, senador José Sarney, licenciado para tratamento de saúde.

O requerimento foi assinado por 337 deputados e 72 senadores. A criação de uma CPMI precisa ser autorizada por, pelo menos, 171 deputados e 27 senadores.

De acordo com o requerimento aprovado, a CPMI investigará as práticas criminosas envolvendo o empresário de jogos de azar, desvendadas pelas operações Vegas e Monte Carlo da Polícia Federal. Depois de instalada, a CPMI terá 180 dias para apresentar um relatório sobre o caso.

Investigação
Após a criação da CPMI do Cachoeira, o presidente da Câmara, Marco Maia, voltou a negar que exista algum movimento do governo ou de partidos para abafar a investigação. Em sua opinião, nenhuma assinatura será retirada do requerimento de criação da comissão – o prazo para retirada de assinaturas termina à meia-noite desta quinta-feira.

Maia disse também que a CPMI não vai colocar governo e oposição em confronto, já que as denúncias envolvem pessoas dos setores público e privado e de diferentes partidos. Ele reafirmou ainda que os trabalhos da comissão não deverão atrapalhar as votações na Câmara.

Reportagem – Murilo Souza e Noéli Nobre
Edição – Natalia Doederlein