Condenado o fotógrafo que tentou extorquir Cameron Diaz

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 5 de abril de 2006 as 19:17, por: cdb

O homem que tirou fotos de Cameron Diaz de topless e tentou vendê-las à artista por US$ 3,5 milhões (R$ 7,4 milhões) foi condenado a pagar uma indenização, cujo valor não foi revelado pela juíza da Tribunal Superior de Los Angeles Valerie Baker. Ainda será decidido em uma audiência se John Rutter terá que pagar os custos do processo civil de US$ 650 mil (R$ 1,3 milhão).

Diaz decidiu processar o fotógrafo em julho de 2003, quando ele tentou vender à atriz as fotos que havia tirado em 1992, quando ela tinha 19 anos. A juíza também proibiu a venda ou qualquer outro uso das fotos e de um vídeo da atriz feito naquele mesmo ano.

Perjúrio

A atriz afirma que jamais deu permissão para Rutter divulgar as fotos e que o fotógrafo teria falsificado a sua assinatura num contrato. Rutter entrou em contato com os advogados de Cameron Diaz para vender as fotos antes de oferecer à imprensa. Diante da recusa, Rutter acusou Diaz de realizar uma quebra de contrato e de fraude. A atriz então resolveu levar o caso aos tribunais, em um processo civil.

Em agosto de 2003, após julgamento, Rutter foi preso por falsificação e perjúrio. Ele está cumprindo sentença de três anos e oito meses de prisão.