Comunidades indígenas receberão recursos do Fome Zero

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 19 de abril de 2003 as 11:22, por: cdb

As comunidades indígenas de Mato Grosso do Sul terão mais R$ 15 milhões do Programa Fome Zero, segundo anunciou o ministro Extraordinário da Segurança Alimentar, José Francisco Graziano da Silva, em Dourados (MS). O convênio será renovado para os próximos três anos. A verba de R$ 5,5 milhões é a primeira do ministério exclusivamente para as comunidades indígenas.

O programa do governo federal, segundo Graziano, busca garantir o direito de comer com qualidade e dignamente e deve envolver todos os ministérios e as três esferas de governo (federal, estadual e municipal), além da sociedade. “Garantir segurança alimentar e nutricional à população de um país significa proporcionar a todos os cidadãos o acesso a uma alimentação digna com regularidade, qualidade e quantidade suficientes”, disse o ministro.

A partir do Fome Zero, disse, o governo espera recuperar também o crescimento demográfico. Hoje, lembrou o ministro, a população indígena do país é de cerca de 350 mil indivíduos, que corresponde a menos de meio por cento da população brasileira. “Mato Grosso do Sul prova que o presidente Lula está correto em colocar o programa de segurança alimentar como a prioridade de seu governo”, afirmou o Graziano.

Segundo ele, o Fome Zero vai combater a fome e garantir a segurança alimentar e nutricional atacando as causas estruturais da pobreza. “Isso requer um outro modelo de desenvolvimento, que crie condições para a superação da pobreza, e não apenas compense suas mazelas”.

Para alcançar esse objetivo, o Fome Zero conta com três eixos – implantação de políticas públicas, ações estruturais e ações básicas. “Para combater a fome e a pobreza é necessária uma combinação de políticas estruturais, específicas e locais”, afirmou.