Comissão Europeia criticada por propaganda “racista” em vídeo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de março de 2012 as 15:28, por: cdb

Comissão Europeia criticada por propaganda “racista” em vídeoVideo que mostra mulher europeia branca enfrentando chinês, brasileiro e indiano é retirado do ar depois de protesto. O video de propaganda da União Europeia, entitulado “Growing Together”(Crescendo Juntos), conta com a participação de uma mulher branca vestida de amarelo – cor das estrelas da bandeira da União – andando calmamente por um depósito, até que é ameaçada por agressivos lutadores da China, da Índia e do Brasil. A mulher se multiplica em várias outras e cerca os lutadores ameaçadores.

The Guardian

A Comissão Europeia foi forçada a tirar do ar o vídeo-propaganda sob a acusação de que a União Europeia (UE) tratou de forma racista outras culturas. O problema eclodiu após a mesa diretora da Comissão Européia, que é responsável pela expansão da UE, ter liberado um video-clipe que foi montado para atingir o público jovem eleitor.

O video, entitulado “Growing Together”(Crescendo Juntos), conta com a participação de uma mulher branca vestida de amarelo – cor das estrelas da bandeira da União – andando calmamente por um depósito. Quando um gongo soa, a atriz olha para trás e vê um chinês agressivo fazendo movimentos da arte marcial kung fu, como no filme O Tigre e o Dragão.

Assim que o chinês para em frente da atriz, um homem indiano, com trajes tradicionais e empunhando uma espada, levita em direção dela. Ele, o indiano, é um mestre na arte marcial kalaripayattu, que é proveniente do estado de Kerala, sul da India. Assim que ela o encara, um homem negro com dreadlocks dá mortais até a frente da mulher no estilo da capoeira, arte marcial brasileira.

A mulher, então, olha os homens. Multiplica-se em várias de si mesma, fazendo um círculo em volta deles, que guardam suas armas e se sentam. Logo depois, cada uma das mulheres multiplicadas se torna uma estrela da bandeira europeia.

O vídeo mostra a seguinte frase: “The more we are, the stronger we are” (Quanto mais somos, mais fortes somos) após isto aparece: “Click here to learn more about UE enlargement” (Clique aqui para saber mais sobre a expansão da União Europeia).

Raoul Ruparel, da Open Europe, disse: “esta foi uma decisão mal-aconselhada da Comissão Europeia. É estranho porque normalmente há algo de ritualesco na Comissão. Mas o vídeo produzido mostra uma mulher branca sendo ameaçada por estrangeiros armados. Isso é de gosto e julgamento duvidosos.
Em primeiro lugar, questionamos se era necessária a produção do vídeo. Nós somos a favor da expansão da União Europeia, mas não achamos que fazer clipes virais é o melhor caminho para isso.”

Stefano Sannino, o diretor geral da divisão de expansão da Comissão Europeia, disse: “nós recebemos muito feedback no último vídeo, inclusive de pessoas preocupadas com a mensagem que ele transmitia. Era um viral que mirava, através de redes sociais e novas mídias, um público jovem (16-24) que compreende as tramas de filmes de arte marcial e videogames. Com efeito, as reações do público alvo foram positivas.

O vídeo mostrava personagens de artes marciais: kung fu, capoeira e kalaripayattu – começava com as personagens demonstrando suas habilidades e concluía com elas manifestando respeito mútuo, terminando numa posição de paz e harmonia. O gênero foi escolhido para atrair pessoas jovens e fazê-las atentar para uma importante política da União Europeia. Este clipe não pretendia ser racista e nós obviamente lamentamos que ele tenha sido percebido assim. Pedimos desculpas a todos que se sentiram ofendidos. Dadas essas controvérsias, nós decidimos interromper a campanha imediatamente e retirar o vídeo”.

Fonte:
http://www.guardian.co.uk/world/2012/mar/06/european-commission-criticised-racist-ad

Tradução: Redação