Comissão discute inclusão de terapia hiperbárica na tabela do SUS

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de agosto de 2011 as 08:24, por: cdb

A Comissão de Seguridade Social e Família realizará nesta terça-feira audiência pública para discutir a inclusão da oxigenoterapia hiperbárica na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). Dessa forma, o SUS passaria a pagar por esse tratamento.

O debate foi proposto pelo deputado José Linhares (PP-CE). “No Brasil, a utilização das câmaras hiperbáricas em benefício da população carente está muito atrasada, já que o procedimento não é remunerado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Experiências isoladas de algumas cidades brasileiras têm mostrado que é perfeitamente factível o oferecimento do método para a população carente”, afirma o deputado.

A oxigenoterapia hiperbárica ou OHB consiste em submeter um paciente a uma pressão ambiental superior à atmosférica, dentro de uma câmara fechada, respirando oxigênio puro. Essas câmaras são, em essência, cilindros metálicos resistentes à pressão, dotados de vigias ou janelas.

Esse método é indicado para tratamento de infecções, inflamações e isquemias, tais como feridas de diabéticos, complicações de cirurgias, osteomielites, úlceras crônicas de pele, lesões pós-radioterapia e outras lesões de pele.

Segundo a Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (SBMH), o tratamento beneficia o paciente, reduzindo o tempo de internação hospitalar, o uso de antibióticos, de curativos complexos, e de intervenções cirúrgicas e diminuindo em mais de quatro vezes a necessidade de amputação de membros, levando a uma melhor qualidade de vida, com retorno às atividades habituais mais rapidamente.

Foram convidados para o debate:
o presidente da SBMH, Omar Feres;
o diretor científico da SBMH, Iriano da Silva Alves;
o diretor financeiro da SBMH, José Ribamar Branco Filho;
a chefe da UTI Geral do Hospital 9 de Julho (SP), Mariza D’ Agostino Dias.

A reunião será realizada às 14h30, no Plenário 7.