Com o bigode intacto, Sarney recebe alta após cirurgia no lábio superior

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de abril de 2010 as 13:53, por: cdb

Presidente do Senado, José Sarney teve alta, na manhã desta quinta-feira, da cirurgia a que se submeteu, no Hospital Sírio Libanês, para a retirada de um cisto benigno situado no lábio superior. Ele passa bem e sua primeira providência, ao acordar, após constatar que seu bigode segue intacto, foi ler os jornais. Sarney ficará em São Paulo aguardando a retirada dos pontos.

A cirurgia foi iniciada às 20h de terça-feira, durou duas horas e foi realizada pelos médicos Cristina Abdalla, dermatologista clínica e cirúrgica; Antonio Carlos Hermann de Andrade e Alberto Gattaz, cirurgiões plásticos; e Roberto Kalil Filho, cardiologista clínico. A equipe médica realizou um procedimento semelhante ao de uma cirurgia plástica para evitar que ele tivesse que raspar o bigode, marca registrada do político maranhense.

Antes da cirurgia, assessores de Sarney afirmaram que seria feita uma incisão pequena no local onde apareceu o edema. Esse é o segundo cisto descoberto no peemedebista na mesma região. Há duas semanas, Sarney fez exames com a equipe médica de Brasília, que detectou o problema e recomendou uma avaliação em São Paulo. Os exames apontaram que o cisto era benigno.

Segundo o filho de Sarney, o deputado federal Zequinha Sarney (PV-MA), disse que o pai pedira para ser operado nesta semana para poder se recuperar durante o feriado da Semana Santa e retornar ao trabalho o quanto antes.

Depois da páscoa, Sarney deve retornar a Brasília, onde participará, na terça-feira, da campanha que o Senado lança para incentivar a adesão de empresas brasileiras à concessão da licença-maternidade de seis meses a suas empregadas parturientes. O slogan da campanha é “Licença maternidade de seis meses: agora é a vez da empresa”. Sarney completa 80 anos no dia 24 de abril.

Vítima do MP

Diante da série de denúncias que vêm marcando a família Sarney, o presidente do Senado divulgou nota, na noite passada, na qual afirma ser vítima de “discriminação e perseguição política” por parte do Ministério Público, que pede a devolução aos cofres públicos de recursos recebidos pelo senador nos últimos cinco anos. Durante o período, seus rendimentos ultrapassaram o teto salarial do funcionalismo público, atualmente em R$ 26.723.

No comunicado, Sarney afirma não ser beneficiário de nenhum privilégio e cita um acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU), que permite o acúmulo de rendimentos, pois não existe qualquer legislação para regulamentar a matéria.

“Por não ser beneficiário de qualquer privilégio, repudio a discriminação e perseguição política de que sou vítima”, diz a nota. Sarney acumula salário de senador, hoje em R$ 16.500, com duas aposentadorias no Maranhão, o que representou o total, eme 2007, R$ 35.560,98, conforme documentos disponíveis na internet.