Colômbia vive em Estado de Emergência

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 12 de agosto de 2002 as 10:40, por: cdb

O novo presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, declarou Estado de Emergência no país na madrugada desta segunda-feira, em meio a uma onda de violência que deixou mais de cem mortos no país nos primeiros cinco dias de seu governo.

A medida, tomada depois de uma longa reunião de gabinete, tem por objetivo dar mais poderes ao governo para agir contra grupos rebeldes, principalmente o maior deles, as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) – acusadas de promover a maior parte dos ataques -, e os paramilitares.

Apenas no dia da sua posse, na última quarta-feira, Uribe foi “recebido” com uma série de ataques que deixaram 20 mortos.

Durante a campanha eleitoral, Uribe prometeu adotar uma política linha-dura com os rebeldes.

Ameaça nacional

O novo presidente baseou a medida no artigo da Constituição colombiana que prevê a supressão dos direitos civis no caso de uma ameaça à segurança nacional.

O estado de emergência pode durar até 90 dias, mas pode ser estendido duas vezes.

Segundo a BBC, de Londres, o gabinete também aprovou a liberação de recursos de emergência de US$ 778,5 milhões para o governo investir nas Forças Armadas. A Colômbia vive há 38 anos em uma guerra civil com constantes combates entre rebeldes das Farc, grupos paramilitares e o Exército.