Colômbia pede ajuda internacional contra o terrorismo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de fevereiro de 2003 as 15:08, por: cdb

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, pediu, neste sábado, ajuda à comunidade internacional para combater o terrorismo em seu país e ofereceu recompensa a fim de obter pistas sobre o que causou a explosão da véspera, que destruiu um edifício em Bogotá e deixou pelo menos 25 mortos e mais de 160 feridos, em um suposto atentado terrorista.

Também neste sábado, fontes da prefeitura de Bogotá informaram que uma grande cratera foi descoberta no terceiro pavimento do estacionamento do edifício, aumentando as suspeitas de que a tragédia foi causada por um carro-bomba.

As equipes de resgate já não têm mais esperanças de encontrar sobreviventes nos escombros do prédio, de 10 andares, onde funcionavam alguns dos melhores restaurantes da capital colombiana, um hotel, vários centros de conferência e o Clube El Nogal, freqüentado pela elite do país.

O edifício onde ocorreu a explosão localiza-se no elegante bairro de Andean, próximo a diversas sedes diplomáticas e embaixadas, incluindo a dos Estados Unidos.

O presidente Uribe esteve no local da explosão nas primeiras horas da madrugada deste sábado, após uma reunião de emergência do conselho de segurança do país, a fim de discutir a situação.

Acompanhado por diversas autoridades e cercado por um grande esquema de segurança, Uribe conversou com alguns vizinhos do local.

“É uma difícil batalha”, disse Uribe. “Mas, vamos acabar com esses criminosos”.

Uribe ofereceu uma recompensa equivalente a 180.000 dólares por informações que leve aos suspeitos que causaram esse atentado e se referiu à necessidade de a comunidade internacional ajudar na guerra contra o terrorismo na Colômbia.

“Assim como as Nações Unidas estão discutindo a situação do Iraque, o mundo precisa tomar uma decisão para ajudar a Colômbia”, declarou Uribe.

“A Colômbia precisa do auxílio dos países democráticos para ajudar nossas forças de segurança a derrotar esses terroristas”.

A pedido das autoridades colombianas, especialistas em explosões dos Estados Unidos estão a caminho de Bogotá para ajudar nas investigações, de acordo com a procuradoria-geral do país.

Até agora, nenhum dos grupos de rebeldes armados da Colômbia assumiu a responsabilidade pelo atentado, um dos mais violentos de que se tem notícia em um centro urbano do país, mas as suspeitas recaem sobre o grupo guerrilheiro Forças Revolucionárias Armadas (Farc), que estaria transferindo para as grandes cidades da Colômbia o conflito que promove há 35 anos em zonas rurais.