Colírio cegou 27 pessoas no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 28 de junho de 2003 as 09:50, por: cdb

Segundo um levantamento inicial de técnicos da área de Investigação e Prevenção de Infecção e Eventos Adversos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), 27 pacientes de quatro hospitais fluminenses foram infectados e ficaram cegos pela contaminação do gel oftálmico usado em cirurgias de catarata. Durante inspeções do órgão no Rio, foram encontradas falhas no controle de estoque dos medicamentos em todas essas unidades de saúde (Hospital do Fundão, Santa Casa de Misericórdia, Instituto Benjamin Constant e Hospital de Olhos de Niterói).
Essas irregularidades dificultam, segundo a Anvisa, a identificação do medicamento, a marca e o lote aplicado nos pacientes afetados entre os meses de novembro do ano passado e abril deste ano.

Além do produto suspeito, os técnicos investigam que outros possíveis fatores teriam influído nos problemas sofridos pelos pacientes, como a ocorrência de infecções hospitalares e o controle do uso de medicamentos em geral, além dos processos de trabalho dos profissionais de saúde envolvidos no atendimento.

As investigações, feitas em conjunto com a Vigilância Sanitária do Estado do Rio e com a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, prosseguem enquanto a análise dos medicamentos está sendo feita pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde.

Depois do Methyl Lens Hypac 2% e do Oft-Visc – produtos que estavam contaminados com bactérios e são os prováveis responsáveis pelos 27 casos de cegueira detectados no Rio até agora – um terceiro medicamento similar utilizado em cirurgias de catarata é suspeito de cegar pacientes.

Feito, como os outros dois, à base de metilcelulose, o produto do Laboratório Ophthalmos, de São Paulo, foi suspenso ontem em todo o país pela Anvisa.

Os dois casos de lesão ocular grave causada pela Metilcelulose Ophtalmos 2% foram registrados no Paraná, de acordo com notificação feita no Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo.

A Anvisa investiga a ligação entre laboratórios envolvidos no fornecimento de matérias-primas para os medicamentos, em sua fabricação e na distribuição para as unidades de saúde.