Coalizão dos EUA realiza ataques contra o EI perto de Raqqa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de dezembro de 2016 as 14:15, por: cdb

Nos arredores de Raqqa, a coalizão afirma ter destruído seis carros-bomba, três veículos táticos, uma ponte, uma posição de combate e um esconderijo de suprimentos

Por Redação, com Sputnik – de Beirute:

As forças da coalizão liderada pelos Estados Unidos lançaram 16 bombardeios contra posições do grupo extremista Estado Islâmico na Síria e no Iraque na semana passada, segundo informaram militares da operação Inherent Resolve.

As forças da coalizão liderada pelos Estados Unidos lançaram 16 bombardeios contra posições do grupo extremista Estado Islâmico
As forças da coalizão liderada pelos Estados Unidos lançaram 16 bombardeios contra posições do grupo extremista Estado Islâmico

De acordo com um comunicado publicado hoje pelo serviço de imprensa da Força Tarefa Conjunta Combinada, 12 desses ataques foram realizados em território sírio. Sendo nove perto da cidade de Raqqa. Considerada a capital da organização terrorista no país. 

Nos arredores de Raqqa. A coalizão afirma ter destruído seis carros-bomba, três veículos táticos, uma ponte, uma posição de combate e um esconderijo de suprimentos. Perto de Abu Kamal, teria sido destruída uma boca de poço de petróleo. Em Ayn Isa, outras duas posições de combate foram atingidas. 

Já no Iraque, os quatro ataques derrubaram prédios utilizados pelos terroristas. Destruíram carros, depósitos de armas, um posto de observação, uma ponte. Danificaram rotas de suprimento e um túnel. 

A coalizão formada pelos EUA e mais de 60 países vem realizando missões militares no Iraque e na Síria desde 2014. Sendo que as ações em território sírio não são autorizadas pelo governo local nem pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas. 

Europa sofrerá do Daesh

Os ataques contra os países europeus realizados pelo Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em vários outros países). Continuarão enquanto a cidade de Raqqa na Síria permanecer o centro de comando operacional dos terroristas.

Essa opinião foi exposta pelo professor do Instituto de Ciências Políticas de Paris. Especialista em Oriente Médio, Jean-Pierre Filiu. “Enquanto Raqqa permanecer o centro de comando operacional dos ataques terroristas do Daesh, a Europa irá sofrer cada vez mais.

Com os EUA presos em Mossul (no Iraque, maior baluarte de terroristas na região) e os russos ‘limpando’ Aleppo (Síria). Parece que o Daesh vai ficar confortavelmente em Raqqa por algum tempo”. Escreve Filiu no artigo publicado pela edição europeia do jornal Politico.

Segundo Filiu, os principais objetivos do Daesh na Europa são a França e a Alemanha. “A França porque é a casa das maiores comunidades de judeus. Muçulmanos e a Alemanha por causa das suas portas abertas a imigrantes da Síria e do Iraque…”

Durante a primeira etapa da operação para libertação da cidade de Raqqa, iniciada em 5 de outubro. O Daesh teve que abandonar 60 povoações, um território de 700 quilômetros quadrados com diversos pontos elevados estratégicos.

A segunda etapa, que começou em 10 de dezembro, conta com 1,5 mil combatentes árabes oriundos de Raqqa. Atualmente, nos arredores ocidentais de Raqqa estão decorrendo combates intensos entre as Forças Democráticas da Síria (SDF) e terroristas do Daesh.