Clinton é uma grande “baixa” na campanha de Kerry

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 13 de setembro de 2004 as 14:18, por: cdb
Atualizado em 13/11/16 13:04

No último dia 6 de setembro, Bill Clinton fez uma operação para a colocação de quatro pontes de safena.

 

A cirurgia cardíaca durou cerca de cinco horas em um hospital de Nova York.


O ex-presidente, de 58 anos, foi internado no Hospital Presbiteriano da cidade na semana passada, depois de se queixar de dores no peito.

 

É uma baixa que ninguém estava esperando.

 

Como para ganhar uma eleição é preciso sorte, esse pode ter sido um fator inquestionável para George W. Bush agora.

 

Alguns analistas brincam que, se Bill Clinton quisesse mesmo ajudar a campanha de Kerry, ele teria morrido.

 

Mas aí os republicanos ressuscitariam outro de seus fantasmas, Ronald Reagan. Seriam mortos para todos os lados!

 

Mas o fato é que, depois do discurso de Clinton, na Convenção Democrata em julho, as coisas melhoraram para o lado de Kerry/Edwards.

 

Clinton é bem visto pelos americanos. Tem carisma, prestígio e goza da predileção de ter feito um governo sem grandes sobressaltos ou grandes quedas.

 

Podemos dizer que o momento “fundo do poço” foi o caso Monica Lewinsky, que quase lhe tirou a presidência quando os republicanos começaram a fazer da mentira de Clinton, uma peça chave para que ocorresse a sua renúncia ou imposibilidade de ficar no cargo.

 

A