Ciro Gomes prevê ciclo de ‘corrupção 2.0’ no governo Dilma

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 28 de novembro de 2015 as 14:53, por: cdb

Por Redação, com ACSs – de Cuiabá

Com sua candidatura à Presidência da República lançada para 2018, pela legenda do Partido Democrático Trabalhista (PDT), na noite desta sexta-feira, o ex-governador Ciro Gomes reitera sua intenção de seguir os passos do socialista Leonel de Moura Brizola, fundador e ícone da agremiação, para iniciar no país um novo ciclo de desenvolvimento. Implacável com os políticos corruptos, Ciro Gomes prevê, ainda no atual mandato de Dilma Rousseff, uma nova leva de ‘malfeitos’, como a presidenta caracteriza o crime de corrupção.

— Ela (Dilma) faz um discurso moralista com um governo todo misturado, todo mestiço, cheio de pilantras Inclusive, vai ter o escândalo 2.0, porque ela tá nomeando essa turma agora, só pra roubar. É só esperar um pouquinho que vai vir a nova rodada de escândalo e ela não vai aguentar mais. Eu estou sabendo do que estou falando — antecipou, em recente entrevista a um canal público de TV.

Ciro Gomes (C) esteve em Cuiabá, nesta sexta-feira, para a convenção regional do PDT
Ciro Gomes (C) esteve em Cuiabá, nesta sexta-feira, para a convenção regional do PDT

Na entrevista, Ciro lembrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também enfrentou, ao longo de seus dois mandatos, uma forte oposição parlamentar, durante o escândalo conhecido como ‘mensalão’, quando foi eleito o ex-deputado Severino Cavalcanti como presidente da Câmara. Ciro comparou a eleição de Severino com a do atual presidente, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a quem acusa de intimidar o governo com a possibilidade de abertura do processo de afastamento.

— A Dilma teve sorte de o Ministério Público (MP) da Suíça ter mostrado que o picareta-mor da República é formador de quadrilha. A história brasileira tem sido muito farsante. Só para relembrar: Severino foi cassado naquela ocasião por receber um cheque de R$ 10 mil mensais de um dono de lanchonete — lembrou.

Ciro, insistiu, em uma entrevista ao jornalista Paulo Henrique Amorim, que Dilma é uma pessoa de sorte:

– Eu disse pra ela que, se ela conseguisse governar com esse ministério, eu queria trocar de anjo da guarda com ela. Ela tem sorte porque esse Eduardo Cunha se desmoralizou muito rapidamente. A população tem que entender que impeachment não é remédio para governo que a gente não gosta. Impeachment é para governo que comete crime – afirmou.

Ciro e Brizola

O governo, segundo o possível candidato ao Palácio do Planalto, deveria trabalhar pela saída de Cunha. Ele disse que o deputado ainda mantém apoio na Câmara por ter “distribuído” parte desses recursos, atribuídos a ele, no financiamento de campanha de outros parlamentares. Ciro ressaltou que, de acordo com o Ministério Público suíço, “R$ 411 milhões circularam nas contas e ele (Eduardo Cunha) mentiu dizendo que não tinha conta”.

— O presidente dos deputados roubou não sei quanto dinheiro e fica mandando e desmandando, dando ‘pito’ na sociedade — acrescentou.

Presidente da ferrovia Transnordestina — uma concessão da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) — Ciro lembrou que o PDT é herdeiro do legado de Leonel Brizola em defesa da Educação e possui envergadura para liderar a mudanças das quais o Brasil tanto necessita.

— Temos condições de construir o protagonismo — disse o político cearense.

Crítico do governo Dilma, Ciro Gomes apontou dificuldades para se empreender no país em que as taxas e juros são “abusivos”.

— Conservadorismo, incompetência e parece que ela está se comprometendo com valores que ela derrotou com a força do povo. A incapacidade do Governo é tão grande, que nem os aliados do governo conseguem ser coniventes — afirmou a jornalistas cuiabanos.

A base do PDT, hoje reduzida a 19 deputados federais, espera crescer com a candidatura de Ciro Gomes. Na atual campanha de filiação, a legenda pretende conquistar 550 prefeituras em 2016, 231 a mais do que os atuais 319 municípios. Cerca de 70 prefeitos de municípios cearenses também devem seguir os passos de Ciro e Cid, incluindo o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros).

Assista aos melhores trechos da entrevista: