Ciro Gomes diz que contas da gestão FHC são uma “anarquia”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de fevereiro de 2003 as 16:00, por: cdb

O ministro Ciro Gomes (Integração Nacional), principal prejudicado pelos cortes do Orçamento deste ano, afirmou hoje que fará uma auditoria nas contas deixadas no ministério pelo governo de Fernando Henrique Cardoso.
O ministro disse que os restos a pagar da gestão passada “são uma anarquia”.

Os chamados restos a pagar, dívidas de um ano deixadas para o ano posterior, somam R$ 430 milhões no Ministério da Integração Nacional, conforme cálculos de Ciro Gomes. Desse total, R$ 128 milhões já foram liquidados, portanto, teriam preferência no cronograma de pagamentos do ministério.

Porém, o ministro disse que não pagará “um centavo” de restos a pagar. “Não sou obrigado”, afirmou. “Esse estoque [de restos a pagar deixados por FHC] é uma anarquia”, disse. Os únicos pagamentos feitos pelo ministério dizem respeito à folha de pessoal, a programas em andamento e a empréstimos internacionais.

A instauração da auditoria poderá reduzir os valores devidos pelo ministério e, dessa forma, aliviar o orçamento da pasta – R$ 188,631 milhões depois do contingenciamento. “Isso é tática”, disse Ciro Gomes.