Cingapura tem primeiro centro de ajuda para homossexuais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 8 de dezembro de 2003 as 04:57, por: cdb

O primeiro centro de ajuda para homossexuais abre suas portas esta semana em Cingapura com a esperança de que a crescente tolerância para esta comunidade leve a sua plena aceitação, em uma sociedade até agora contrária aos direitos ‘gays’.

O centro Pelangy (arco-íris, em malaio) oferecerá um serviço telefônico de ajuda, contará com uma livraria e recomendará serviços médicos e legais adequados para homens e mulheres homossexuais.

Embora a homossexualidade seja proibida em Cingapura, o premier, Goh Chok Tong, anunciou em julho que o Governo aceitará homossexuais em sua administração.

Em novembro, uma companhia imobiliária lançou, pela primeira vez na cidade-estado, uma campanha destinada a atrair o ‘dólar rosa’ com a venda e aluguel de apartamentos para jovens executivos homossexuais.

Apesar destes sinais de abertura, o pedido da comunidade ‘gay’ de estabelecer um diálogo com o Executivo e outros grupos da sociedade continua sendo rejeitado neste país de forte moral social e religiosa, onde os homossexuais nunca tiveram direitos civis plenos.

O centro abrirá dois dias por semana, mas os organizadores esperam poder aumentar seu horário e organizar projeções de filmes, festas e seminários dedicados exclusivamente aos homossexuais do território.