Cingapura fecha três setores de hospital por suspeita de Sars

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 8 de setembro de 2003 as 23:29, por: cdb

O governo de Cingapura fechou nesta segunda-feira (terça-feira no Oriente) três setores de um hospital após a suspeita de ocorrência do primeiro caso da Síndrome Respiratória Aguda e Grave (Sars, na sigla em inglês) no pequeno país asiático.

O Ministério da Saúde de Cingapura disse que testes iniciais em um paciente do hospital deram positivo para o vírus da Sars. O caso parece isolado. Testes adicionais serão feitos para confirmar se o homem, um chinês étnico, é o primeiro doente da reaparição da Sars. Ele está isolado no Hospital Tan Tock Seng, que tratou apenas de pacientes de Sars no último surto da doença.

A Sars originou-se no Sul da China e foi espalhada pelo mundo no começo do ano para 30 países, principalmente por turistas. Cerca de 8.500 pessoas foram infectadas em todo o mundo e mais de 800 morreram – incluindo 33 em Cingapura, onde o governo impos mecanismos rígidos de controle na área de saúde.

A OMS declarou a Sars contida no dia 5 de julho. No entanto, nesta segunda-feira, o diretor-geral da OMS, Lee Jong-wook, advertiu sobre um possível ressurgimento do vírus no fim do ano e pediu para os países aumentarem a vigilância.

– Nenhum de nós pode prever o que acontecerá neste ano. Temos que nos preparar para a suposição de que o vírus da Sars voltará a agir. Nosso desafio é fortalecer as redes de vigilância para que detectem a Sars se a doença voltar – disse Lee Jong.