Ciberataques aumentam temores no uso de internet banking

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 10 de março de 2010 as 23:01, por: cdb

O crescimento no número de desvios de contas bancárias online de pequenos e médios negócios está levantando dúvidas importantes sobre os mecanismo de autenticação e detecção de fraudes utilizados pelas instituições financeiras. Esses crimes virtuais já motivaram várias empresas a processar seus bancos e levou os reguladores do governo a pedir que as instituições financeiras melhorassem seus sistemas de segurança.

A Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC), órgão independente responsável pela preservação da confiança no sistema financeiro dos EUA, afirmou recentemente que, apenas durante o último trimestre de 2009, cibercriminosos roubaram mais de 150 milhões de dólares de contas bancárias de empresas de pequeno a médio porte.

Na maioria dos casos, segundo a FDIC, os criminosos obtiveram credenciais válidas de login de uma conta bancária de forma ilegal. Os crackers utilizaram as informações roubadas para enviar dinheiro das contas para outras contas internacionais via transferências bancárias.

Os bancos, na maioria dos casos, alegam que os furtos ocorreram porque as vítimas não protegeram adequadamente suas credenciais bancárias. Os bancos não são obrigados a reembolsar contas comerciais por perdas resultantes desses roubos, portanto a maior parte do impacto foi vista por uma perspectiva de relações públicas.

Por outro lado, os bandidos causaram de dezenas a centenas de milhares de dólares em perdas para inúmeras pequenas empresas, que agora têm baixa expectativa de recuperar o dinheiro. Algumas delas entraram com ações contra os bancos, alegando que eles falharam ao detectar e impedir transações fraudulentas.

No começo deste mês, por exemplo, a companhia Hillary Machinery processou o seu banco, PlainsCapital, depois que criminosos utilizaram credenciais roubadas para transferir mais de 800 mil dólares da conta bancária da empresa no ano passado.

Mais tarde, o banco recuperou cerca de 600 mil dólares dos valores roubados, mas até agora se recusou a pagar o valor restante.