Chuva de gols em São Januário

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 6 de abril de 2003 as 20:32, por: cdb

Não choveu só água em São Januário no final da tarde deste domingo. Sob o olhar de Edmundo, que assistiu ao jogo da sala da presidência, o Vasco derrotou o Goiás por 6 x 4 e somou os três primeiros pontos no Campeonato Brasileiro.

A presença do Animal parece que funcionou como estímulo para os atacantes vascaínos, que marcaram cinco gols – o zagueiro Wescley completou o placar. Mais uma vez, o destaque da partida foi o astro Marcelinho, que marcou dois gols de falta, em cobranças magistrais.

Como os dois times entraram em campo mais preocupados em atacar do que se defender, o primeiro tempo foi disputado num ritmo alucinante e repleto de lances de gol. No primeiro deles, aos 4 min, Russo fez excelente jogada individual pela direita e cruzou rasteiro para Souza abrir o placar num potente chute.

O Goiás não se intimidou com a desvantagem e continuou em cima. O quarteto formado por Marabá, Danilo, Dimba e Araújo colocava a zaga do Vasco na roda. Aos 18 min, Marabá chutou da entrada da área e Fábio precisou espalmar a bola duas vezes para evitar o gol.

Aos 24 min, Marcelinho cobrou falta, com efeito, e Harley voou para espalmar. Aos 30 min, o Goiás chegou ao merecido empate. Dimba deu um passe de letra para Araújo, que entrou na área e só teve o trabalho de tocar na saída de Fábio.

Não deu nem para comemorar: dois minutos depois, Marcelinho cobrou falta com maestria e colocou o Vasco novamente em vantagem. O detalhe é que o Pé de Anjo correu para a bola e, antes de chutar, deu uma estratégica parada para confundir o goleiro da equipe goiana. Harley apenas olhou a bola entrar.

No segundo tempo, nem a tempestade que caía sobre o Rio diminuiu o calor da partida. Logo no primeiro minuto, Dimba arriscou de dentro da área e igualou o placar. O goleiro Fábio, talvez com a visão prejudicada pela chuva, pulou atrasado. Logo após o gol, Marcelinho teve a oportunidade de marcar em cobrança de falta, assim como na etapa inicial, mas desta vez Harley defendeu.

O que os torcedores, animados pela presença de Edmundo no estádio, não esperavam aconteceu aos 6 min. Fabão cobrou falta de muito longe, a bola desviou em Wescley, enganou Fábio e entrou no canto direito. A essa altura a chuva castigava o gramado e o sistema de drenagem não mais impedia o surgimento de poças.

Então, a principal arma do Vasco passou a ser as jogadas de bola parada, sempre nos pés de Marcelinho. Aos 18 min, o meia cobrou escanteio e Wescley escorou para o fundo do gol. Minutos depois, Caíco fez duas faltas em menos de um minuto e foi expulso com dois cartões amarelos. A desvantagem numérica desarrumou a equipe do Goiás, que não resistiu à pressão dos donos da casa.

Aos 26 min, Marcelinho mudou a forma de cobrar escanteio e rolou para Danilo levantar a bola na área. Cadu, livre de marcação, cabeceou no canto direito de Harley. A torcida ainda comemorava quando Léo Lima deixou Anderson cara a cara com Harley. O chute saiu rasteiro e a comemoração da torcida, que lotou São Januário, foi aos gritos de “Ah, é Edmundo!”.

No final, Dimba diminuiu cobrando pênalti e Marcelinho ainda teve tempo para fazer o sexto do Vasco e o seu terceiro no campeonato. Agora, o Pé de Anjo divide a artilharia do Brasileirão com Alex, do Cruzeiro.

VASCO 6 x 4 GOIÁS

Vasco
Fábio, Russo, Alex (Wescley), Wellington Paulo e Edinho (Anderson); Rogério Corrêa (Danilo), Bruno Lazaroni, Marcelinho e Léo Lima; Cadu e Souza
Técnico: Antônio Lopes

Goiás
Harley, Cléber (Gustavo), Fabão, Renato e Leandro Smith (Vando); Josué, Marabá, Caíco e Danilo; Dimba e Araújo
Técnico: Candinho

Data: 6/4/2003 (domingo)
Local: estádio São Januário, no Rio
Juiz: Anselmo da Costa (SP)
Cartões amarelos: Danilo, Leandro Smith, Caíco e Marabá (Goiás); Cadu e Russo (Vasco)
Cartão vermelho: Caíco (Goiás)
Gols: Souza, aos 4 min, Araújo, aos 30 min, Marcelinho, aos 32 min do primeiro tempo; Dimba, a 1 min, Fabão, aos 6 min, Wescley, aos 18 min, Cadu, aos 26 min, Anderson, aos 30 min,