Chirac escapa de um atentado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de julho de 2002 as 09:18, por: cdb

O presidente francês, Jacques Chirac foi literalmente salvo pelo povo de .Paris Durante o desfile militar que comemorou a Queda Da Bastilha, o neonazista Maxime Bruneri, de 25 anos, escondido na multidão tirou de dentro de uma caixa de violão, uma carabina, calibre 22, apontou para o Presidente que estava a cem metros de distancia e atirou. As pessoas que estavam à volta de Maxime pularam sobre ele e desviaram o tiro. Dois minutos depois o jovem foi levado preso para a Prefeitura de Paris. Maxime Bruneri era um velho conhecido da polícia. Membro do GUD, um movimento estudantil de Direita e do PNFE, Partido Nacionalista Francês Europeu, ele já havia sido detido anteriormente e atualmente estava em tratamento psiquiátrico. Nem por isso a Polícia encerrou as investigações e pretende apurar se Maxime agiu sozinho ou se faz parte de um grupo terrorista. Chirac só teve conhecimento do atentado depois do desfile, mas não demonstrou nenhuma reação.Um atentado semelhante à Charles De Gaulle quando presidente, inspirou o livro “O dia do Chacal”, de Frederick Forsith, que já teve duas versões cinematográficas, a ultima com Bruce Willys e Richard Gere.