China promove correções na economia para manter desempenho

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de agosto de 2016 as 17:00, por: cdb

O índice MSCI, que reúne ações da China e região Ásia-Pacífico, com exceção do Japão, subia 0,27% nesta terça-feira, às 7:50, chegando a atingir a máxima de um ano

 

Por Redação, com agências internacionais – de Tóquio e Xangai

 

O mercado acionário chinês recuou das máximas em sete meses nesta terça-feira, com correções em ações de bancos ofuscando a força constante do setor imobiliário.

Bolsa de Tóquio
A bolsa japonesa foi afetada pela queda, na véspera, das bolsas pelo mundo

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,45%, enquanto o índice de Xangai caiu 0,47%.

As expectativas de mais flexibilização monetária em breve, que tem alimentado a alta recente do mercado, esfriaram após uma autoridade sênior do banco central dizer que o sistema bancário da China tem ampla liquidez e que as taxas de juros já estão em um nível baixo.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, subia 0,27% nesta terça-feira, às 7:50, chegando a atingir a máxima de um ano. O índice acumula ganhos de 10% no ano, apoiado pelo salto nos preços do petróleo e expectativas dos investidores por uma fase estendida de afrouxamento da política monetária ao redor do mundo.

O índice Nikkei perdeu 1,62%, com o iene atingindo a máxima de um mês.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,62%, a 16.596 pontos.
. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,09%, a 22.910 pontos.
. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,47%, a 3.110 pontos.
. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,45%, a 3.378 pontos.
. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,13%, a 2.047 pontos.
. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,42%, a 9.110 pontos.
. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,29%, a 2.858 pontos.
. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,14%, a 5.531 pontos.

Ações da China

Ainda nesta terça-feira, o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, disse que o Conselho Estatal aprovou o lançamento de um programa de conexão entre os mercados acionários de Shenzen e Hong Kong, sem dar mais detalhes sobre a data do lançamento.
Li, em comentários divulgados em um site do governo, disse que o trabalho preparatório para o programa há muito tempo esperado havia sido basicamente concluído.

“O movimento marca um sólido passo rumo a uma estrutura legal melhor e orientação internacional de mercado nos mercados de capital da China”, disse Li no texto. A Comissão Reguladora de Ativos disse este mês que lançaria o programa em algum momento deste ano.

Internamente, a China segue confiante que vai alcançar sua meta oficial de inflação, de cerca de 3% este ano, disse nesta terça-feira a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma.

Em um comunicado em seu site, a comissão disse que o crescimento médio da inflação ao consumidor no segundo semestre de 2016 vai desacelerar ante os primeiros seis meses. A comissão acrescentou ainda que as quedas no índice de preços ao produtor também vai desacelerar no segundo semestre deste ano.

O índice de preços ao consumidor subiu 1,8% em julho na comparação com o mesmo mês do ano passado, após alta de 1,9% em junho e igualando-se à mínima deste ano, em janeiro. O índice de preços ao produtor caiu 1,7% em julho na comparação anual, abaixo da queda de 2,6% de junho.