China põe 10 mil em quarentena em Nanquim

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de maio de 2003 as 08:35, por: cdb

As autoridades chinesas ordenaram que 10 mil pessoas fossem colocadas em quarentena na cidade de Naquim, no leste do país, para evitar o avanço do surto de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars, na sigla em inglês) pela região.

Duzentas e seis pessoas já morreram em decorrência da doença na China e outras 4.280 foram infectadas.

Na capital do país, Pequim, o acesso a todas as represas foi proibido, devido ao temor de que o vírus que causa a Sars possa se espalhar pela rede pública de abastecimento.

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, visitou nesta segunda-feira algumas das áreas mais afetadas pela doença no país e disse que está sendo feito progresso no combate ao surto.

Estudantes proibidos

Apesar disso, o temor de que pessoas vindas da Ásia possam ser vetores da doença fez com que a Universidade da Califórnia em Berkeley, nos Estados Unidos, decidisse proibir as matrículas de alunos asiáticos neste verão no hemisfério norte.

A Universidade é a primeira grande instituição de ensino americana a adotar a proibição, com medo de que a Sars contamine os estudantes e funcionários do campus de Berkeley.

A proibição prejudicará centenas de estudantes da China, Hong Kong, Taiwan e Cingapura.

Um representante da universidade disse que a medida foi adotada porque a instituição não dispõe de instalações que possam ser usadas para manter os estudantes sob quarentena.

Colômbia

A diretora da Organização Mundial de Saúde, Gro Harlem Brundtland, deve ter nesta terça-feira uma reunião com ministros da Saúde dos países da União Européia, em que devem ser discutidas formas de conter o avanço da doença no continente.

Segundo a Comissão Européia (o órgão executivo da União Européia) até agora foram registrados cerca de 100 casos prováveis ou suspeitos de Sars no continente, mas ninguém morreu.

Mas novos casos da doença continuam a ser registrados fora da Ásia e do Canadá – onde ocorreram os únicos casos de morte por Sars fora do continente asiático.

Nesta terça-feira, o vice-ministro da Saúde da Colômbia anunciou que foi descoberto o primeiro caso provável da doença no país.