China alia-se à França, Alemanha e Rússia contra ataques a Bagdá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de fevereiro de 2003 as 00:53, por: cdb

A China apóia uma declaração da França, Rússia e Alemanha pedindo o fortalecimento das inspeções de armas da ONU no Iraque e reafirma a necessidade de se resolver diplomaticamente a crise, disse o presidente chinês a seu colega francês.

A conversa telefônica entre Jiang Zemin e Jacques Chirac foi divulgada pela agência de notícias estatal Nova China. Jiang reiterou a Chirac que a China mantém sua antiga posição – que deve ser feito todo o possível para evitar um conflito militar no Iraque.

“A inspeção no Iraque é efetiva e deveria continuar e ser fortalecida”, teria dito Jiang, segundo a agência. “A guerra não é boa para ninguém, e é nossa responsabilidade tomar várias medidas para evitar a guerra”.

Na segunda-feira, França, Rússia e Alemanha pediram o fortalecimento das inspeções de armas da ONU no Iraque, parte de uma iniciativa diplomática que sofre oposição dos EUA.

Líderes chineses há muito defendem que a questão das armas de destruição em massa no Iraque deve tratada pelo Conselho de Segurança da ONU. Como membro permanente do CS, a China tem poder de veto sobre qualquer ação aprovada pela ONU.

A porta-voz do Ministério do Exterior chinês, Zhang Qiye, estimou que a posição chinesa é compartilhada pela “vasta maioria das nações no mundo”.