Cheques sem fundos aumentam 12,9% de janeiro a outubro deste ano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de novembro de 2003 as 17:17, por: cdb

O volume de cheques devolvidos por falta de fundos nos dez primeiros meses deste ano aumentou 12,9% em relação ao mesmo período de 2002. De janeiro a outubro deste ano, foram registrados 15,7 cheques sem fundos a cada mil compensados, contra 13,9 no mesmo período de 2002.

Os números de outubro, em relação ao acumulado do ano, são os maiores já registrados desde 1991, ano em que foi criado o índice. As informações são da Serasa, empresa que faz análise de crédito no país.

O volume de cheques devolvidos por falta de fundos em outubro aumentou 8,2% em relação ao mês anterior. No mês passado, foram devolvidos 15,9 cheques a cada mil compensados, enquanto em setembro o volume registrado foi de 14,7 cheques devolvidos para cada mil.

Segundo o levantamento da Serasa, o volume de cheques sem fundos também cresceu na comparação anual. A alta foi de 24,2% quando comparados os meses de outubro de 2002 e deste ano. Em outubro de 2002, foram registrados 12,8 cheques devolvidos por falta de fundos a cada mil compensados.

O maior número de dias úteis em outubro deste ano em relação a setembro foi um dos fatores que contribuiu para o aumento. Como o segundo meio de pagamento da economia brasileira e a principal forma de financiamento (cheques pré-datados), os cheques devem, de acordo com as informações da Serasa, apresentar devolução menor no encerramento do ano.

A reação do mercado à queda da taxa básica de juros da economia (Selic), que já foi reduzida em nove pontos percentuais desde junho, deve contribuir para isso.