Chega a 33 o número de mortos no Egito

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 9 de outubro de 2004 as 11:55, por: cdb

Trabalhadores no resgate das vítimas dos atentados no Egito continuam neste sábado a buscar sobreviventes entre os destroços em um hotel, após a série de explosões que visaram atingir turistas israelenses na península do Sinai e que mataram pelo menos 33 pessoas.

Israel suspeita que os ataques estejam ligados à rede terrorista al Qaeda. O diário “Al-Ahram do Egito” informou que a polícia está interrogando 12 suspeitos sobre as explosões.

Um porta-voz do Ministério do Interior, por sua vez, informou que dezenas de pessoas estão sendo interrogadas para reunir informações, mas acrescentou que é muito cedo para falar de suspeitos.

Acredita-se que mais corpos estejam sob os escombros do luxuoso hotel Hilton, em Taba, próximo à fronteira com Israel. Ele foi o alvo da maior de uma série de explosões na Costa Leste da península do Sinai.

O Exército israelense informou que pelo menos 33 pessoas morreram, na maioria israelenses, mas havia também egípcios e russos entre os mortos.

A maior parte das vítimas morreu no atentado de Taba, mas dois israelenses foram mortos em uma das duas explosões simultâneas mais ao sul. A agência de notícias oficial do Egito informou que 149 pessoas ficaram feridas.