Chega a 12 número de mortos na série de explosões em Bagdá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 26 de abril de 2003 as 19:50, por: cdb

Um hospital em Bagdá informou que pelo menos 12 pessoas morreram em uma série de explosões em um depósito de munição na cidade neste sábado.

Soldados americanos que estavam de guarda no local dizem que as explosões aconteceram depois que atacantes atiraram um artefato incendiário no depósito.

Algumas agências informam que o número de mortos é bem maior do que 12, e que há muitos feridos.

As forças americanas dizem que a localização do depósito em uma área residencial mostra o pouco caso que a antiga liderança iraquiana tinha pela vida humana.

O depósito, no bairro de Zaafaraniya, era controlado pelos Estados Unidos. A área está isolada e não é permitida a presença de jornalistas, o que dificulta a divulgação de números mais precisos.

Oficiais americanos disseram que forças “inimigas” soltaram foguetes dentro do galpão, o que provocou as explosões pouco depois das 8h (2h no horário de Brasília).

Um míssil teria atingido uma casa vizinha, onde cinco pessoas morreram. Várias outras residências foram incendiadas.

Um soldado dos Estados Unidos foi levemente atingido por uma das explosões.

Campanha

De acordo com o capitão Patrick Sullivan, do exército americano, quatro foguetes sinalizadores foram soltos dentro do galpão. Apenas um deles deu início a uma explosão, mas ela desencadeou várias outras.

“Vocês podem estar certos de que as pessoas que nós temos motivos para acreditar que têm informações estão sendo interrogadas pelas nossas equipes. E estão, de fato, passando informações úteis”, disse o secretário de Defesa americano, Donald Rumsfeld.

O líder muçulmano sunita Sheikh Moayyad Ibrahim al-Aadhami aproveitou o fato para fazer campanha contra os Estados Unidos.

“Vamos dizer não à América, não à ocupação. Não vamos colocar um tirano no lugar do outro”, disse ele.

Pedras

O bairro onde aconteceram as explosões fica a 20km a sudoeste do centro de Bagdá.

Moradores revoltados atiraram pedras contra os soldados americanos que chegaram ao local.

Muitos iraquianos chegaram ás redondezas para protestar, exibindo faixas e cartazes com slogans antiamericanos.

O exército dos Estados Unidos lembra que a cidade continua a ser considerada uma área insegura e que o fim da guerra contra o regime de Saddam Hussein não foi declarado.