Chefes da F1 pedem calma após abertura “chata” no Bahrein

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de março de 2010 as 10:31, por: cdb

Os dirigentes de equipes da Fórmula 1 pediram na sexta-feira que os torcedores tenham calma depois do GP tedioso de abertura da temporada, no Bahrein, e alertaram que seria precipitado mudar as regras para evitar as corridas sem ultrapassagens.

– Seria prematuro dizer que é assim que as futuras corridas vão se dar – disse Christian Horner, diretor da Red Bull, no circuito de Albert Park, onde acontece no domingo o GP da Austrália.

– Acho que vimos mais ação na primeira sessão (de treinos) hoje de manhã do que provavelmente em todo o fim de semana no Bahrein, e tenho a sensação de que muita coisa vai acontecer neste fim de semana de corrida – disse.

Muitos disseram que os novos regulamentos, que proíbem por exemplo o reabastecimento, foram responsáveis pelo tédio na corrida de Sakhir, onde os pilotos tiveram dificuldades para ultrapassar e a prova na prática foi definida nos treinos para o grid de largada.

Algumas equipes defenderam alterações nas regras, e várias sugeriram que um segundo pit stop obrigatório daria mais emoções às provas, obrigando os pilotos a assumirem riscos.

Mas os dirigentes dizem torcer para que a ondulada pista de rua de Melbourne, que fica gradativamente mais lisa ao longo da prova, seja cenário de momentos mais espetaculares.

– Eu não defenderia nenhuma medida urgente, porque talvez tenhamos uma corrida fantástica aqui, e aí de repente esta questão em potencial vai desaparecer – disse Stefano Domenicali, da Ferrari.

Mas Martin Whitmarsh, da McLaren, deixou claro que, se houver outra “procissão” em Melbourne, a categoria terá de se repensar.

– Acho que a maioria de nós diria que ficamos frustrados pelo espetáculo criado pela corrida no Bahrein, mas temos de ser cuidadosos para não saltarmos para decisões com base em uma corrida – afirmou.

– Estamos cientes de que temos de ver isso muito atentamente, concordamos em nos reunir de novo na Malásia depois que tivermos tido duas corridas, e tenho certeza de que vamos conversar abertamente sobre quais são as opções, se precisamos fazer alguma coisa e, nesse caso, o que precisamos fazer – completou.