Chacina deixa 31 mortos em província separatista na Indonésia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 10 de agosto de 2001 as 10:40, por: cdb

Autoridades policiais da Indonésia e rebeldes separatistas da província de Aceh acusaram-se mutuamente, nesta sexta-feira, por uma chacina em que 31 civis foram mortos no distrito de Idi Rayeuk.

A localidade foi invadida por um grupo armado, na quinta-feira, em um ataque que coincidiu com o anúncio dos integrantes do novo gabinete ministerial da Indonésia, feito em Jacarta pela recém-empossada presidente Megawati Sukarnoputri.

Grupos de defesa dos direitos humanos disseram temer que Megawati adote uma posição de linha dura em relação a movimentos separatistas no país, inclusive em Aceh.

O coronel Sad Harunantyo, um porta-voz da polícia, disse que 31 pessoas foram mortas e sete ficaram feridas no ataque a Idi Rayeuk, que ele atribuiu ao Movimento Aceh Livre.

Segundo a mesma fonte, todas as vítimas trabalhavam em plantações.

Um porta-voz da polícia da província, Sudarsono, também atribuiu a autoria a rebeldes separatistas, acrescentando que as vítimas foram mortas enquanto faziam fila para receber seus salários.

Amri Abdul Wahab, um líder rebelde do norte de Aceh, acusou soldados do governo de reunirem e metralharem camponeses desarmados.

Os rebeldes do Movimento do Aceh Livre lutam pela independência do norte da ilha de Sumatra, uma região que fica 1.750 quilômetros a noroeste de Jacarta.

(