CGU ainda aguarda relatório de diretores de hospitais federais do Rio sobre indícios de irregularidades nas unidades

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 23 de setembro de 2011 as 15:52, por: cdb

Carolina Gonçalves
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – A Controladoria-Geral da União (CGU) deverá receber até o fim da próxima semana um documento com o posicionamento das diretorias dos seis hospitais federais que funcionam no estado sobre os indícios de irregularidades apontadas pela CGU nos gastos feitos pelas unidades, em auditoria realizada a pedido do Ministério da Saúde. De acordo com o diretor do Departamento de Gestão Hospitalar (DGH) do ministério, no Rio de Janeiro, João Marcelo Ramalho Alves, tudo estar sendo feito com muito cuidado.

“Estamos aguardando as respostas dos diretores dos hospitais para termos uma análise fiel. A gente tem que ter cautela para verificar [os fatos apontados no documento]. Mas, sendo constatadas irregularidades, estas serão combatidas”, disse Ramalho à Agência Brasil, destacando que o documento ainda é preliminar. “Não tenho como afirmar, ao certo, se houve prejuízo e qual seria o prejuízo. A partir da finalização dos trabalhos é que teremos essa informação”, completou.

De acordo Ramalho, apenas quando estiver de posse do relatório com as explicações das diretorias dos hospitais é que a CGU vai poder concluir as investigações. “É um relatório ainda preliminar. Não posso tomar atitude ou julgamento de valor sem que a gente apure o que realmente aconteceu. O Ministério da Saúde já tomou atitude quando solicitou que a CGU faça auditoria e a Polícia Federal acompanhe. Se forem identificadas ilegalidades, que se tomem medidas que a lei determina. E administrativamente, o ministério pode abrir sindicância e procedimento administrativo disciplinar, para cada caso especial”, declarou.

Segundo o diretor do DGH, o ministério vem adotando medidas para otimizar recursos e combater desperdícios na administração dos hospitais federais, como a centralização de compras de medicamentos e insumos que podem significar economia, considerando as aquisições em grandes volumes. Ramalho disse, ainda, que os serviços, como limpeza e fornecimento de alimentos, alvos destacados no relatório da CGU, passarão a ser contratados com licitação única e acompanhamento da controladoria. “A contratação de serviços é local e tem particularidades. Mas vamos uniformizar todos os serviços, para todos os hospitais, com licitação única”, disse.

 

Edição: Aécio Amado