Cesar Maia é reeleito no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 3 de outubro de 2004 as 23:04, por: cdb

O prefeito César Maia (PFL) foi reeleito no primeiro turno, no Rio de Janeiro. Ele teve 50,12% dos votos válidos e cumprirá mais um mandato na capital carioca.

– Nunca tive a certeza de que seria reeleito no primeiro turno. Agora é voltar ao trabalho – disse o prefeito.

O prefeito Cesar Maia (PFL) se aproxima da reeleição já no primeiro turno, mas a eleição só será definida no último voto. Com 99,78% dos votos apurados, o prefeito Cesar Maia (PFL) tem 50,12% dos votos válidos, o que garante a reeleição já no primeiro turno. Em segundo, vem Marcelo Crivella (PL) com 21,82%. Matematicamente, é muito difícil que a eleição vá para o segundo turno.


Nesta reta final, vinha caindo a vantagem de Cesar Maia sobre Crivella, mas o prefeito conseguiu voltar a aumentar a vantagem na última parcial. Com 70% das urnas apuradas, o prefeito chegou a atingir 51,1% dos votos válidos.

Dos 4,41 milhões de votos, 4,34 milhões já foram apurados, faltando apurar 11.242 votos (0,22%). Faltam ser computados os votos de apenas 23 urnas da cidade, sendo uma com votação manual. A previsão do TRE é que a apuração no Estado seja concluída até às 23 horas.

Cesar Maia acompanha a apuração na Gávea Pequena com aliados e familiares e só se pronunciará após a divulgação do resultado das Eleições 2004 pelo TRE. Crivella está na sua residência, na Barra da Tijuca, e só pretende aparecer na sede do partido se for confirmado o segundo turno.

Em terceiro lugar aparece Luiz Paulo Conde (PMDB) com 11,18%. Jandira Feghali (PC do B) tem 6,9% e Jorge Bittar (PT), 6,31%.

Nilo Batista (PDT) tem 1,38%, Lenine Madeira (Prona) 1,20%, André Correa (PPS) 0,77%, Octacílio Ramalho (PSTU) 0,23% e Thelma Maria (PCO) 0,08%.

O total de votos brancos é de 2,17% e de nulos 4,92%. A abstenção foi de 15,88%.
As eleições ocorreram em clima de tranqüilidade, com destaque apenas para as 35 prisões por boca-de-urna. Segundo balanço do Tribunal Regional Eleitoral, dezoito seções estão com votação manual devido à problemas com a urna eletrônica. Das 28.217 urnas eletrônicas usadas no estado, 220 apresentaram problemas e tiveram que ser substituídas. O número, entretanto, é quantro vezes menor que o da última eleição.