Cearense completa nesta quinta-feira 103 anos de vida

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 6 de novembro de 2003 as 11:17, por: cdb

Às vésperas do aniversário, a cearense Laura Viana Moreira parecia criança perguntando para a nora se iria haver bolo e festa. Afinal, não é todo dia (nem todo mundo) que completa 103 anos de idade. Mais que isso, quem vive tanto com lucidez, memória, na companhia da família e vendo quatro gerações se formarem.

O filho mais velho de Laura, Francisco Edson Viana, 76, se entusiasma com o feito da mãe. “É muita felicidade. Nessa minha idade ainda ter uma mãe para toda noite beijar minha mão e rezar na minha cabeça”, destaca ele.

Até o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) se surpreende com tanta longevidade. Edson conta que este mês ela teve que comprovar que ainda está viva para receber a aposentadoria. Beneficiária desde os 70 anos, ou seja, há 33 anos, Laura deu uma procuração para o filho e pediu uma declaração de viva em um hospital para apresentar ao Instituto.

Laura teve ao todo 16 gestações, quatro abortos espontâneos e 12 partos. “Tudo parto natural. Naquela época tudo era muito difícil. Hoje é tudo muito fácil”, compara Laura. Tão difícil que sete crianças morreram antes dos dois anos de idade. Há mais de cem quilômetros de Fortaleza, morando no sítio Gameleira em Guaramiranga, não contava com recursos médicos, nem infra-estrutura de combate à mortalidade infantil.

A vida também trouxe difíceis surpresas. Dois outros filhos de Laura morreram antes dos 70 anos: Fernando, 66, e Marly, 39. Após 57 anos de casada, o esposo, José Moreira Filho, morreu em 1982, com 84 anos. Hoje, vivos só estão três filhos, Edson, Paulo, 75, e Alcy, 71. Apesar das perdas, teve a oportunidade de ver as muitas gerações que se sucederam: 23 netos, 23 bisnetos e dois tataranetos. Edson considera que a memória de Laura é impressionante por conseguir lembrar a data de aniversário de todos os descendentes após tantos anos.

A fala de Laura é bem explicada e coerente. Mas desde a morte de uma nora, há 19 dias (18/10), ela não escuta bem. Os parentes consideram que ficou muito abalada emocionalmente. O tempo também deixa marcas. O olho esquerdo está com catarata e início de glaucoma. A família já descartou a possibilidade de cirurgia. “Se nem quando ela era nova nunca quis operar, não vai se submeter a uma cirurgia agora. Nova que eu digo é com 90 anos”, explica a nora, Diva Barros Viana, casada com Edson.

Mas Laura mantém a atividade até onde pode e não se entrega facilmente. “Até seis anos atrás, ainda matava galinha e fazia comida para toda a família”, exemplifica o filho. Se existir uma receita para a saúde pode estar no caldo de feijão que toma todos os dias.

O presente que a aniversariante pede é mais saúde. Sobre a comemoração de hoje, a nora Diva avisa para os mais próximos que vai ter um bolinho à noite para quem chegar à casa deles na Parquelândia. “Com essa notícia no jornal, vai encher de gente”, prevê ela.

A reportagem tentou entrar em contato com a superintendência do INSS no início da tarde de ontem. A superintendente, Nara Regina Martinuzze, estava viajando e não poderia falar sobre o caso. Uma secretária informou que a superintendente interina, Marta Vasconcelos, estava em reunião externa e também não poderia dar informações sobre o caso.