CCBB realiza a maior mostra de surrealismo já vista no país

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de agosto de 2001 as 10:44, por: cdb

Neste fim de semana, visitar a exposição “Surrealismo” é um programa quase obrigatório para quem gosta de arte. Trata-se da maior mosta no gênero já reunida no país e exposta no Centro Cultural Banco do Brasil. Mas não há pressa, a programação fica no Rio até o dia 28 de outubro.

O Surrealismo é movimento artístico nascido em 1924 com a publicação
do “Manifesto Surrealista”, do escritor francês André Breton. Inspirado pelas teorias de Sigmund Freud, o conceito de se fazer arte
ultrapassando as barreiras da realidade teve seus seguidores no cinema, na literatura e na pintura. A mostra do CCBB traz obras de seus principais expoentes: Salvador Dalí, René Magritte, Giorgio De Chirico, André Breton, Max Ernst, Joan Miró, Man Ray e Luis Buñuel.

A exposição, considerada a maior mostra sobre o movimento artístico já
organizada na América Latina, foi concebida para celebrar os 12 anos do CCBB. “Consideramos essa mostra um divisor de águas na história do CCBB, que agora entra no difícil mercado das artes. Escolhemos o Surrealismo porque graças à abrangência desse movimento e de seu impacto em diversas artes, podemos usar a infra-estrutura multidisciplinar do CCBB”, afirma Walter Vasconcelos, diretor do Centro Cultural Banco do Brasil.

Todas as salas do prédio foram caracterizadas para receber as obras
surrealistas. A transformação ficou a cargo do cenógrafo Zaven Pare, que trouxe às paredes do CCBB os céus de prata retratados pelo artista René Magritte.

A produção da exposição ficou a cargo da RSB, empresa de Romaric Sulger Büel, responsável pela realização no Brasil das mostras de Rodin, Monet e Picasso: “Queríamos que o evento fosse o mais variado possível, assim procuramos obras em vários acervos. Como as peças estavam espalhadas pelo mundo, a logística foi complicada, mas tudo correu bem”, conta.

A curadoria de artes plásticas foi feita a seis mãos por Nadine Lehni,
conservadora-chefe dos Museus Nacionais da França, Jean-François Chougnet, diretor-geral do centro La Villette, em Paris, e a brasileira Denise Mattar. Administrar as mais de 300 obras não deve ter sido trabalho fácil, mas o resultado deve agradar aos 500 mil visitantes esperados pelo CCBB.

Serviço
O Surrealismo
Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março, 66, Centro
Tel.: (21) 3808-2020
De ter a dom, das 12h às 20h
Grátis