Cartas de amor de Italo Calvino provocam briga na Justiça

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 6 de setembro de 2004 as 12:51, por: cdb

As cartas de amor apaixonadas e, até agora, secretas de um dos mais conhecidos escritores italianos foram tema de uma batalha jurídica na sexta-feira, quando a viúva e os herdeiros do escritor processaram o maior jornal do país por publicar trechos das correspondências.

Italo Calvino, autor de “Se um Viajante numa Noite de Inverno”, escreveu mais de 300 cartas à atriz Elsa de Giorgi entre 1955 e 1958, quando os dois viveram um caso de amor.

As cartas de amor não tinham sido vistas até o mês passado, quando o jornal Corriere della Sera publicou trechos delas, provocando uma briga legal em torno do controle sobre os trechos publicados.

A correspondência traz à tona um lado surpreendentemente fogoso de um autor conhecido por seu estilo enxuto e limpo. “Minha querida … cor de meus olhos, perfume, sol, quando lhe possuo me sinto como se sempre deveria percorrer o mundo como quem anda a cavalo”, escreveu Calvino em um dos trechos.

A publicação das cartas foi rapidamente sustada por um mandado solicitado pela viúva de Calvino, Esther Singer, que não era casada com o escritor na época em que as cartas foram escritas.

“São cartas particulares que estão ligadas à personalidade mais íntima do escritor”, disse o advogado da viúva, Ripa di Meana. “As cartas são sujeitas a copyrights. Ambos os correspondentes estão mortos, mas os herdeiros não aprovaram a publicação.”

Na audiência da sexta-feira o tribunal ouviu os argumentos do Corriere della Sera contra o mandado que sustou a publicação. O juiz ainda não deu sua decisão final sobre o caso, segundo a agência de notícias ANSA. Quando isso for feito, poderá começar a tramitar um processo para pedir indenização por perdas e danos.

Conhecida por sua atuação no filme “Saló ou os 120 Dias de Sodoma”, Elsa de Giorgi era casada com o aristocrata florentino Sandro Contini Bonacossi na época em que teve o caso com Calvino.

Herdeiro de uma coleção de arte fabulosa, Bonacossi desapareceu em 1955, mas ressurgiu um ano mais tarde e divorciou-se da atriz. Ele foi encontrado enforcado em Washington, em 1975. Italo Calvino, que dedicou vários de seus livros a De Giorgi, morreu em 1985.