Carros-bomba em Bagdá matam 42 e ferem 140

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de setembro de 2004 as 09:24, por: cdb

Rebeldes explodiram três carros-bomba perto de um comboio militar dos EUA, nesta quinta-feira, no sul de Bagdá, matando ao menos 35 pessoas e ferindo cerca de 140, muitas delas crianças, disseram autoridades e médicos.

As explosões aconteceram horas depois de um terrorista suicida ter matado dois policiais iraquianos e um soldado norte-americano ao detonar seu carro-bomba em um posto de controle localizado a oeste de Bagdá. Outro carro-bomba explodiu no norte, matando quatro pessoas.

Um oficial das Forças Armadas dos EUA disse que os insurgentes haviam detonado três carros-bomba no ataque ocorrido na região sul da cidade, e cujo alvo era um comboio militar norte-americano. A segunda explosão e a terceira aconteceram quando os militares dos EUA correram para ajudar as pessoas atingidas na primeira.

Não ficou claro se a maior parte das vítimas era de civis ou de soldados dos EUA. Um porta-voz das Forças Armadas norte-americanas disse estar esperando por mais informações, mas confirmou que soldados do país foram atingidos nas explosões.

Membros do hospital Yarmouk afirmaram ter recebido um grande número de corpos e terem contado ao menos 42. Cerca de 140 pessoas ficaram feridas, muitas delas crianças atingidas por destroços. Moradores do local disseram que as explosões aconteceram quando se realizava uma cerimônia de inauguração de uma nova estação de esgoto.

No atentado ocorrido horas antes, na região oeste de Bagdá, cerca de 60 pessoas, entre as quais mulheres e crianças, ficaram feridas. Um soldado dos EUA foi morto em um outro incidente quando um foguete atingiu uma base norte-americana perto da cidade. Mais de 800 militares dos EUA foram mortos em ação no Iraque desde o início da guerra.

Em Falluja, uma cidade dominada pelos insurgentes e localizada a oeste de Bagdá, as forças norte-americanas destruíram uma casa que, segundo disseram, era usada por combatentes leais a Abu Musab Al Zarqawi.

O grupo de Zarqawi, um militante jordaniano ligado à Al Qaeda, realizou várias ações violentas no Iraque e atualmente mantém refém um britânico. Os insurgentes ameaçam matá-lo como fizeram recentemente com dois norte-americanos sequestrados junto com ele.

Os EUA dizem ter informações confiáveis de que Zarqawi está em Falluja, cidade alvo de ataques constantes. Os moradores de Falluja, porém, acusam os norte-americanos de matarem muitos civis com suas ações militares na área.