Carro-bomba mata mais de 80 em mercado no Paquistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de outubro de 2009 as 10:30, por: cdb

Um carro-bomba matou mais de 80 pessoas e feriu cerca de 100 nesta quarta-feira em um mercado lotado na cidade paquistanesa de Peshawar, disseram autoridades do governo e um médico. Esse é o ataque mais recente de uma série de atentados sangrentos lançados por militantes.

A explosão, a que causou mais vítimas no Paquistão este ano, aconteceu algumas horas após a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, ter desembarcado no Paquistão com promessas de novas relações com o país aliado, que sofre cada vez mais com o confronto contra a militância islâmica.

A bomba em Peshawar explodiu na movimentada rua comercial Peepal Mandi, na cidade velha, provocando um incêndio que atingiu vários prédios.

– Os números estão subindo. Temos mais de 80 mortos, incluindo mulheres e crianças – disse à Reuters Sahib Gul, médico do principal hospital da cidade.

O Paquistão está em alerta máximo em meio a temores de ataques de militantes do Taliban paquistanês, enquanto o Exército ataca fortalezas dos militantes no Waziristão do Sul, na fronteira com o Afeganistão.

A explosão foi causada por um carro-bomba, disseram autoridades do governo local.

– O carro estava estacionado em frente a um mercado frequentado principalmente por mulheres – disse Azam Khan à Reuters.

A ofensiva contra os militantes no Waziristão do Sul foi lançada depois de uma série de ataques às Nações Unidas, quartéis militares, a polícia e o público em geral, nos quais 150 pessoas morreram. Houve vários ataques a bomba em represália desde o início da ofensiva.

O ataque de quarta-feira provocou graves danos no bairro de prédios de madeira e tijolos, ruas movimentadas e alamedas estreitas.

– Vários prédios e uma mesquita ficaram muito danificados e o fogo tomou conta de um prédio – disse uma testemunha, Aqueel-ur-Rehman, à Reuters do local.

– Posso ver três corpos debaixo dos destroços – completou.

O Exército paquistanês lançou uma ofensiva em 17 de outubro e diz que está obtendo progresso contra os militantes ligados à Al Qaeda.

Os investidores do mercado de ações paquistanês estão nervosos com a violência das últimas semanas e o principal índice recuava 0,69%, a 9.251,84 pontos às 7h55 (horário de Brasília).

– Apesar dos fortes resultados corporativos e boas avaliações, a deterioração da lei e da ordem está mantendo os investimentos longe –, disse Asad Iqbal, diretor administrativo da Ismail Iqbal Securities Ltd.