Carla Bruni chama rumores sobre crise conjugal de “ridículos”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 8 de abril de 2010 as 11:14, por: cdb

A primeira-dama francesa, Carla Bruni-Sarkozy, qualificou na quarta-feira de “ridículos” os rumores sobre sua situação conjugal com o presidente Nicolas Sarkozy, e minimizou as especulações de que ele estaria sendo vítima de uma trama política.

Promotores franceses começaram nesta semana a investigar a origem dos rumores, que vieram à tona no mês passado em um blog e logo se espalharam pela Internet e a imprensa estrangeira.

– Isso ganhou proporções que eu acho ridículas –, disse Bruni à rádio Europe 1.

– Esses rumores são insignificantes para mim e para o meu marido. É verdade que temos sido vítimas de rumores, e é verdade que não é muito agradável, e é verdade que não tem importância nenhuma para nós.

Numa entrevista coletiva no mês passado, Sarkozy evitou responder a perguntas sobre a sua situação conjugal.

Bruni disse que fazia as declarações em nome dela e do presidente. Aparentemente, trata-se de uma mudança de tática para afastar a polêmica criada pela maneira como o gabinete presidencial lidou com o assunto.

A imprensa francesa inicialmente tratou a questão com grande cautela, mas tem usado uma série de declarações de assessores presidenciais para reavivá-la, até que o assunto recebesse uma grande cobertura nesta semana.

– Foi o próprio Eliseu (palácio presidencial) – o alvo do rumor – que acionou a máquina novamente, por meio da voz altamente autorizada do advogado do presidente e de um dos seus principais consultores de comunicação –, disse o jornal esquerdista Libération em editorial nesta quarta-feira.

O assessor de comunicação Pierre Charon e o advogado Thierry Herzog causaram comoção na imprensa nesta semana ao sugerirem que os rumores eram resultado de uma conspiração para desestabilizar Sarkozy.

Mas a primeira-dama disse que o presidente não tem nada a ver com nenhuma investigação.

– Não considero que sejamos vítimas de nenhuma trama. Rumores sempre existiram. Não há conspiração, não há vingança, isso não nos preocupa e já viramos a página há muito tempo.