Carga Pesada: Pedro e Bino já cometeram 17 infrações

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 20 de maio de 2003 as 10:01, por: cdb

Em três semanas no ar, os caminhoneiros Pedro e Bino (Antônio Fagundes e Stênio Garcia) já cometeram tantas infrações de trânsito que, caso todas fossem computadas pela Polícia Rodoviária, ambos já teriam perdido a habilitação de motorista e estariam a caminho da escolinha de reciclagem para reaver as carteiras.

Com a ajuda da caminhoneira Rosa (Patrícia Pillar), o programa está exibindo em média mais do que cinco infrações de trânsito nas estradas por episódio. Juntos, os três personagens já somaram 78 pontos nas carteiras e devem 17 multas no valor de R$ 2.630.

São desde as faltas consideradas leves (“dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança”, conforme dita o artigo 196 do Código de Trânsito Brasileiro) até as consideradas gravíssimas (“utilizar o veículo para demonstrar ou exibir manobra perigosa”, diz o artigo 175).

Quem aplicou as “multas” em Pedro, Bino e Rosa foi o fundador e primeiro presidente da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), Roberto Scaringella.

A convite da Folha de S. Paulo, o especialista, que também foi presidente do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e diretor do DSV (Departamento de Operações do Sistema Viário) e do INST (Instituto Nacional de Segurança no Trânsito), assistiu no sábado aos três episódios de Carga Pesada e “canetou” todas as imprudências cometidas ao volante.

– Isso é uma ostensiva barbaridade – revoltou-se Scaringella ao ver Rosa saindo do acostamento oposto para entrar numa curva com faixa contínua, que indica ultrapassagem proibida.

– Essa imagem é uma deseducação; é perniciosa – comentou, ao ver Pedro dormindo deitado na boléia sem cinto de segurança.

A Globo responde que “é uma decisão louvável e rica um programa de televisão se destinar à educação de trânsito, mas Carga Pesada não foi criada nem desenvolvida com esse objetivo”.