Cantora presa é acusada de roubar clube de futebol

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de maio de 2003 as 11:54, por: cdb

A sérvia Svetlana “Checa” Raznatovic passa por maus lencóis. Cantora pop, viúva do deputado sérvio Zeljko Arkan Raznjatovic e presa acusada de envolvimento no assassinato do ex-premiê Zoran Djindjic, Svetlana enfrente novo processo. Checa é, agora, acusada de administração fraudulenta à frente da gestão do time de futebol que herdou do marido.

Ela está sendo acusada de ter roubado o Obilic, clube que disputa a 1º divisão do campeonato sérvio, em 11 milhões de euros e de 480.000 dólares no período entre 1998 – quando o marido, depois assassinado em janeiro de 2000, a nomeou presidente do clube – e 1º de março de 2003.

Com a cumplicidade da irmã, Lidia Velickovic, também arrolada no processo, Checa teria vendido cerca de 50 jogadores, na maioria para times da série B da Alemanha e Áustria, sem que tal movimentação fosse registrada nos livros contábeis do clube.

Além disso, teria declarado gastos iguais ou superiores a 5 milhões de euros com salários dos jogadores já vendidos. O dinheiro acabou em uma conta no Chipre, em nome da irmã Lídia.

Checa se encontra presa, aguardando o resultado do processo que julga sua participação no atentado de 12 de março em que foi assassinado o ex-premiê sérvio, Zoran Djindjic. Ela teria escondido os organizadores do ataque, entre eles Milorad “Legjia” Lukovic, que seria seu amante.