Cannabis cafés, a última invenção dos Londrinos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de agosto de 2002 as 14:16, por: cdb

A última moda em Londres são os “cannabis cafés”, estabelecimentos famosos principalmente em Amsterdã – as pessoas podem fumar maconha tranqüilamente. A moda está se espalhando pela Grã-Bretanha. Nesses lugares é permitido consumir, mas não comprar, maconha. Há outros 13 cafés previstos para serem abertos ainda este ano na Grã-Bretanha onde consumidores poderão comprar e fumar maconha.

A maconha não foi legalizada na Grã-Bretanha, mas, a partir de 2003, o governo adotará uma política mais branda em relação à droga. A polícia passará a priorizar a prisão de traficantes de drogas como cocaína, heroína e crack. Portadores de maconha só serão presos se além de portarem a droga estiverem “perturbando a ordem pública”. Durante seis meses a polícia londrina realizou um experimento permitindo que usuários que fossem pegos portando pequena quantidade de maconha não fossem presos. A experiência terminou na última quinta-feira. Mas muitas pessoas e até bares da região se beneficiaram da experiência. O Café Cairo, um bar no sul de Londres, é um exemplo do novo estilo. O café abre diariamente das 16h à 1h. Como o próprio nome indica, o local tem tudo a ver com o Egito: a música, o chá de menta muito doce e a decoração. O estabelecimento fica em um jardim coberto por uma tenda de tecido colorido com almofadas no chão, lanternas no teto e mesinhas baixas – um tipo de tenda muito comum nos países árabes.

Nos fins-de-semana, o café oferece uma outra atração: a dança do ventre. A única bebida alcóolica servida no local é vinho, que é bem menos consumido do que os tradicionais chás e sucos da casa. “É um prazer estar entre amigos, fumar maconha, olhar em volta e ver outras pessoas fazendo a mesma coisa. Ninguém te incomoda”, diz a espanhola Nuria Llopis, de 26 anos, que foi ao café com outras três amigas. O estabelecimento funciona desde 1997 em uma rua de pouco movimento no sul de Londres. O dono, David Lodge, esteve no Egito várias vezes e, quando voltou para Londres, teve a idéia de montar um café ao estilo egípcio.

“Eu não gosto que este lugar seja chamado de “cannabis café” porque não vendemos maconha aqui. Para que fôssemos chamados disso seria preciso vendê-la ” ,afirma Lodge. “Eu cresci consumindo maconha e, no sul de Londres, principalmente em Brixton, isso é comum desde os anos 60. Eu seria um hipócrita se pedisse às pessoas que não fumassem maconha aqui dentro”, acrescenta o dono do Café Cairo.
Em cinco anos de existência, o Café Cairo nunca recebeu a visita da polícia. Mas em Stockport e Bournemouth, no interior da Inglaterra, a polícia já prendeu várias pessoas que estavam fumando maconha em bares locais.

Em Edimburgo, na Escócia, Kevin Williamson pretende abrir um autêntico “cannabis-café”, um local onde será vendida maconha em pequenas quantidades.”Vou abrir o café ainda neste ano. Mas iremos vender no máximo cinco gramas de maconha por pessoa, seguindo o exemplo dos cafés da Holanda”, diz ele.

Há noticias de que 13 “cannabis cafés” deverão abrir na Grã-Bretanha, mas a polícia já informou que quem for pego fumando maconha nesses locais será preso. “Fumar maconha é ilegal. Quem for encontrado fumando em um café vai ser preso e levado a julgamento”, diz a Polícia Metropolitana de Londres.
Há uma campanha para legalizar a maconha na Grã-Bretanha com o apoio do jornal The Independent.