Candidato paraguaio não confirma revisão do acordo sobre Itaipu

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 18 de janeiro de 2008 as 12:33, por: cdb

Candidato que lidera as intenções de voto à presidência do Paraguai, Lino Oviedo embarcou, na manhã desta sexta-feira, de volta ao seu país, após ser recebido na véspera pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele evitou afirmar se vai rever o Tratado de Itaipu, uma das principais bandeiras de seu adversário na disputa, o ex-bispo Fernando Lugo. Oviedo afirmou que o importante para o Paraguai é a integração energética com o Brasil.

– A gente pode olhar o tratado, analisar e ver se pode fazer algum ajuste. Não conheço o tratado assim, isso é para o futuro, Se chegarmos à conclusão que tem algum problema podemos rever – disse Oviedo a jornalistas, tomando muito cuidado com as palavras.

Ainda sobre a hidrelétrica binacional de Itaipu, Oviedo disse que “a parte mais importante, que é a obra, está feita. Agora, é só discutir onde se pode melhorar”.

O tratado de Itaipu foi assinado em 1973 para a construção da hidrelétrica binacional e estabelece que o Paraguai deve ceder ao Brasil seu excedente da energia gerada pela usina por um preço que está bem abaixo do de mercado. O candidato paraguaio disse que seu objetivo, caso eleito presidente, é seguir fortalecendo a integração do Mercosul.

– Paraguai e Bolívia não têm costa, e, por isso, o relacionamento com outros países é ainda mais importante”, disse Oviedo, destacando que “o espírito do presidente Lula é ajudar os países mais necessitados – afirmou.

Perguntado se veio ao Brasil em busca do apoio de Lula, Oviedo negou.

– O presidente Lula ratificou que o governo brasileiro respeita a soberania de outros países e que não vai prestar apoio a nenhuma candidatura em particular, seja no Paraguai ou em qualquer outro lugar – concluiu.