Campinas participa de programa de cooperação internacional

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 15:02, por: cdb

Campinas participa de programa de cooperação internacional

28/02/2012 – 17:40

  

Marianne Hartung

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, José Afonso
da Costa Bittencourt, participa nesta quarta-feira, dia 29 de fevereiro,
no Palácio do Planalto, em Brasília, do lançamento do Programa de
Cooperação Técnica Descentralizada Sul-Sul.

Para o secretário, Campinas tem muito a contribuir. “Estaremos à
disposição do Governo Federal e dos países beneficiários da cooperação
para o intercâmbio de experiências”, disse. Bittencourt lembrou alguns
setores nos quais o município se destaca, como as obras em saneamento,
atenção básica de saúde, controle de áreas de risco e segurança, entre
outras. “Podemos disponibilizar nosso know-how para ajudar no
desenvolvimento de outros países”, ofereceu.

O Programa de Cooperação é resultado de uma parceria entre a Secretaria de
Relações Institucionais (SRI) da Presidência da República, por meio da
Subchefia de Assuntos Federativos (SAF) e o Ministério das Relações
Exteriores, por meio da Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

O Programa é uma forma do Governo Federal apoiar a elaboração e dar
orientações aos governos municipais e estaduais, para a execução de
propostas que possam contribuir no desenvolvimento de outros países.

Apresentação de propostas

Para fazer parte do Programa os municípios e estados vão poder
apresentar propostas através de solicitação dos países beneficiários da
cooperação. Caso aprovadas, receberão apoio da Agência Brasileira de
Cooperação para elaborar os projetos, organizar missões e demais
atividades.

As avaliações serão realizadas por um Comitê Técnico, composto por
representantes do Governo Federal, estados e municípios, que seguirão
critérios específicos. O orçamento previsto para cada projeto será de até
200 mil dólares para execução no prazo de um ano.

As propostas devem ser elaboradas com base em experiências que tiveram
êxito nas áreas de saúde, educação, segurança cidadã, governança local, desenvolvimento territorial sustentável, agricultura sustentável, segurança alimentar, restauro e conservação do patrimônio, esporte e lazer, inovação tecnológica e desenvolvimento científico, meio ambiente e mudanças climáticas,
formação profissional, cultura e fortalecimento de competências para o
alcance dos objetivos do milênio.