Campeã olímpica Isinbayeva vai se aposentar em dois anos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 07:32, por: cdb
Atletismo
A russa, atual bicampeã olímpica e mundial, é a maior rival da brasileira Fabiana Murer na modalidade, além de ser a recordista mundial com a marca de 5,06m, recorde, aliás, é com ela mesmo: a russa quebrou nada menos do que 28 recordes

A saltadora russa Yelena Isinbayeva, que busca sua terceira medalha de ouro olímpica do salto com vara nos Jogos de Londres este ano, disse que o ritmo de treinos vai forçá-la a se aposentar em dois anos.

– Quando eu estou na pista, eu sempre penso, oh meu Deus, é tão fácil. Por que não pode ser o tempo todo a mesma coisa. Mas assim que eu saio do pódio, eu penso ‘oh, eu estou muito cansada para o treino’ – disse a atleta, de 29 anos, ao site dos Prêmios Laureus (www.laureus.com).

– Eu decidi que (competirei) mais dois anos e depois vou me aposentar. O treino se torna difícil… a cada ano o corpo vai ficando velho, fica cada vez mais difícil se preparar para a competição. Gosto de competir mais do que treinar.

A vontade de Isinbayeva de vencer pôde ser vista no mês passado no campeonato mundial indoor em Istambul, onde ela conquistou seu quarto título e sua primeira grande vitória desde o ouro nos Jogos de Pequim, em 2008.

A brasileira Fabiana Murer, atual campeã mundial outdoor -título conquistado no ano passado em Daegu, numa prova que Isinbayeva ficou fora do pódio- não disputou a competição em Istambul.

A confiança de Isinbayeva definitivamente está de volta se considerarmos seus comentários antes dos Jogos de Londres, em julho-agosto deste ano. “Em Londres, as minhas principais concorrentes serão eu mesma, porque eu sei o quão alto posso saltar e eu sei que essa altura é quase impossível para as minhas rivais”, disse a russa, que detém o recorde mundial de 5,06 metros.

– Meu treinador diz que meu potencial é de 5,10 ou mais, então com a minha preparação atual, eu sou capaz de saltar 5,10. Não estou preocupada com a Olimpíada. Estou confiante porque sei que agora tudo está bem na minha vida.