Campanha contra Petrobras não surte efeito

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 3 de junho de 2011 as 08:25, por: cdb

Da mesma forma que o encontro da presidenta Dilma Rousseff com o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick (leiam, o Destaque do dia Mais uma que nossa grande mídia e a oposição têm que engolir) constituem um cala boca para a mídia e a oposição o anúncio do presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, de que a estatal mantém o seu plano de investimentos de R$ 93 bi este ano e a inauguração, hoje, pela presidenta Dilma Rousseff, da plataforma de petróleo P-56, em Angra dos Reis (RJ).

A oposição, que com grande apoio e espaço na mídia, tentou até privatizar a Petrobras, têm dessa forma a resposta mais cabal de que não surtem efeito as campanhas que move sistematicamente contra a estatal, dia sim e outro também, e sempre tendo nossa conservadora imprensa como grande porta-voz.

Instalada no Campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, a P-56 é um investimento de US$ 1,5 bi. Ela terá capacidade de produzir 100 mil barris de petróleo e comprimir 6 milhões de metros cúbicos de gás por dia quando atingir o pico de produção, no 1º trimestre de 2012. A plataforma tem um índice de nacionalização de 73%, o maior até hoje em uma plataforma de petróleo.

O anúncio do presidente da Petrobras, de manutenção dos investimentos programados para este ano e, principalmente, a P-56 constituem os exemplos mais emblemáticos do caminho que o Brasil percorre para se tornar proximamente auto-suficiente em petróleo, com o uso do nosso gás possibilitando, também, que o país produza e tenha energia mais limpa e uma redução nos custos de operação de nosso parque industrial.