Cameron faz apelo a britânicos por permanência na UE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de junho de 2016 as 11:23, por: cdb

A apenas dois dias de um referendo sobre a permanência ou não da Grã-Bretanha na UE, novas pesquisas de intenção de voto apontam que os eleitores estão tão divididos

Por Redação, com Reuters – de Londres:

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, fez um apelo nesta terça-feira aos britânicos, em especial aos eleitores mais velhos, para que pensem no impacto que deixar a União Europeia terá sobre o país e as futuras gerações.

A apenas dois dias de um referendo sobre a permanência ou não da Grã-Bretanha na UE, novas pesquisas de intenção de voto apontam que os eleitores estão tão divididos que é impossível prever qual será o resultado da votação.

Primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron
Primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron

– Será só você na urna de votação. Só você, tomando uma decisão que afetará o seu futuro, o futuro de seus filhos, o futuro dos seus netos – disse o premiê, em um raro discurso em frente ao seu gabinete oficial em Downing Street.

Vantagem de voto

A campanha para permanência britânica na União Europeia perdeu parte da vantagem que tinha sobre o campo que defende a saída do bloco antes do referendo de quinta-feira sobre a UE, de acordo com uma pesquisa da opinião divulgada nesta terça-feira.

A pesquisa do instituto Survation mostrou o apoio para a permanência em 45 %, ante 44 %  a favor da saída.

A pesquisa Survation anterior, publicada no sábado, indicava que a permanência tinha 45%  de apoio, ante 42 %  a favor da saída.

A nova pesquisa foi realizada por telefone em 20 de junho.

Pesquisas de opinião publicadas nesta terça-feira sugerem apoio crescente entre os britânicos pela permanência do país na União Europeia, mas a votação de quinta-feira, que pode ter enormes consequências para a Grã-Bretanha e a Europa, continua numa disputada bastante acirrada.

Os britânicos irão votar em dois dias pela saída ou permanência no bloco de 28 nações, em meio a alertas de políticos, economistas e organizações comerciais mundiais de que uma decisão de deixar a UE pode levar a Grã-Bretanha, e possivelmente grande parte da Europa, para a recessão.

O bloco, já conturbado por diferenças sobre imigração e o futuro da zona do euro, perderia sua segunda maior economia, uma das maiores potências militares e de longe seu centro financeiro mais rico.

Pesquisas de opinião publicadas desde o assassinato da parlamentar pró-UE Jo Cox, morta a tiros e facadas em seu distrito eleitoral no norte da Inglaterra na semana passada, sugerem a permanência.

Uma pesquisa da ORB publicada nesta terça pelo jornal Daily Telegraph indicou apoio à permanência em 53 %, 5 pontos percentuais a mais que na pesquisa anterior, enquanto o apoio para a saída estava em 46 %, com queda de 3 pontos.