Rio conclui reconstrução de ponte na Zona Norte

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 27 de maio de 2015 as 15:17, por: cdb
Com investimento de R$ 228 mil, além da execução de uma estrutura de 13 metros largura e 5,35 metros de comprimento
Com investimento de R$ 228 mil, além da execução de uma estrutura de 13 metros largura e 5,35 metros de comprimento

Prefeitura do Rio entregou à população nesta quarta-feira uma ponte totalmente refeita, em substituição ao pontilhão existente sobre o Rio Faria, na Rua Francisco Fragoso, no Encantado, Zona Norte da cidade.

Com investimento de R$ 228 mil, além da execução de uma estrutura de 13 metros largura e 5,35 metros de comprimento, foi construída uma passarela provisória para passagem de pedestres no período dos setenta dias de obras, eliminando complicações no trânsito e riscos aos transeuntes.

A ponte atual foi projetada por técnicos da Coordenadoria Geral de Projetos, dentro das normas vigentes, para garantir não só a segurança dos usuários (com passeio apropriado para passagem dos pedestres, guarda-corpos de concreto de um metro de altura e corrimões de tubos galvanizados), mas também uma maior vida útil da estrutura. Além disso, foram instaladas barreiras no passeio para evitar o estacionamento irregular de veículos permitindo assim o uso adequado e seguro da ponte.

Despoluição

 

A Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados debateu nesta quarta-feira a questão da despoluição da Baía da Guanabara e da Lagoa Rodrigo de Freitas, palco de eventos esportivos nas Olimpíadas 2016. O debate foi proposto pelos deputados Alex Manente (PPS-SP).

Na avaliação do deputado, a pouco mais de um ano das Olimpíadas de 2016, um dos maiores desafios do Brasil é a despoluição da Baía da Guanabara e da Lagoa Rodrigo de Freitas, onde serão realizadas as provas de vela e remo, respectivamente.

– Quando da definição da cidade do Rio de Janeiro para sediar as Olimpíadas, havia o compromisso de que 80% do esgoto despejado na Baía estaria adequadamente tratado, mas as imagens veiculadas na mídia mostram uma situação bastante crítica – acrescenta.