Câmara aprova aumento de salário em votação simbólica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de maio de 2007 as 22:03, por: cdb

Depois de quase cinco meses de discussão, a Câmara dos Deputados aprovou o aumento salarial dos parlamentares. A proposta precisa ainda ser votada pelos senadores. A votação na Câmara foi simbólica, sem necessidade de registro do voto de cada deputado no painel eletrônico. No plenário, apenas o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) levantou os braços contrário ao projeto.
 
Os deputados querem votar ainda nesta quarta o reajuste dos salários do presidente da República, do vice e dos ministros.

Pelo projeto aprovado na Câmara, os salários dos parlamentares sobem 28,5%, sendo retroativo ao dia primeiro de abril. A proposta foi elaborada pela mesa diretora e reajusta os salários de R$ 12.847,20 para R$ 16.512,09. Segundo os deputados, isso representa a correção da inflação entre dezembro de 2002 e março deste ano.

Com essa votação, a Câmara tentar pôr fim à polêmica do aumento salarial depois da tentativa dos parlamentares de reajustar os próprios salários em 91% no fim do ano passado. Pressionados, os deputados recuaram e decidiram aplicar a correção da inflação.

Três emendas foram apresentadas para serem votadas junto com o aumento. Duas diziam que o parlamentar poderia renunciar ao reajuste e uma era mais detalhada: afirmava que o deputado ou o senador deveria expressar, por meio de requerimento à mesa diretora dentro de um prazo de 30 dias, que quer receber o aumento. Caso contrário, ficaria com o salário atual. Todas foram rejeitadas pelo plenário.