Caixa assegura patrocínio para atletas paraolímpicos em Pequim

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de outubro de 2004 as 13:48, por: cdb

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Jorge Matoso, assegurou a continuidade da parceria das Loterias da Caixa para os atletas paraolímpicos até Pequim, em 2008. A informação é do presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), Vital Severino Neto, em entrevista concedida hoje ao NBR Manhã, noticiário da TV NBR.

De acordo com Neto, “o presente” foi dado na sexta-feira na chegada da delegação dos atletas paraolímpicos em São Paulo. O CPB, segundo ele, “já tem um trabalho que vem sendo desenvolvido com a finalidade de ter uma boa participação nos jogos na China”.

A campanha dos atletas paraolimpícos em Atenas, na Grécia, foi a melhor de toda a história do Brasil nos jogos paraolímpicos. A delegação brasileira terminou a competição em 14º lugar e conquistou 33 medalhas – 14 de ouro, 12 de prata e 7 de bronze. Em 2000, nos jogos paraolímpícos de Sydney, na Austrália, o país ganhou 22 medalhas.

“Dentro do projeto que foi montado, a gente alcançou o objetivo para Atenas”, comemorou o presidente do CPB. Neto destacou ainda que, para que isso acontecesse, “não se pode esquecer do apoio decisivo do presidente Lula que assegurou à equipe brasileira as condições indispensáveis para comparecer a Atenas”.

Para ele, o trabalho do ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, da Caixa Econômica Federal, através dos recursos das Loterias Caixa, e de todos os patrocinadores e apoiadores, é que se conseguiu o êxito histórico. “O Brasil começou a ver o que sempre existiu mas que sempre ficava ofuscado pelo conhecimento, que é a capacidade, a potencialidade e a qualidade do brasileiro praticando esporte, um brasileiro que tem alguma restrição motora ou sensorial”.